A Hipnose Realmente Pode Tratar A Síndrome do Intestino Irritável

Tempo de leitura: 7 minutos

5 (100%) 1 vote

Quando você tem dor abdominal e problemas de intestino não seria maravilhoso se você pudesse enviar uma mensagem calmante para o seu trato digestivo?

Os centros médicos dos EUA começaram a fazer exatamente isso. Estão usando a “hipnoterapia direcionada para o intestino” para tratar a Síndrome do Intestino Irritável (SII) e a colite ulcerativa.

Eles têm procurado especialmente por uma nova opção para tratar a SII, já que até metade dos pacientes com SII estão insatisfeitos com os resultados do tratamento médico padrão. Eles continuam a ter sintomas frequentes como diarréia, constipação, inchaço e pontadas de dor no abdômen.

Para Ana*, os sintomas da SII se tornaram tão imprevisíveis que ela teve medo de planejar viagens. “Quando eu preenchi minha lista de sintomas,” ela disse, “eu desmoronei e chorei. Eu percebi o quanto a SII tinha assumido a minha vida. ”

Nove meses depois de concluir um programa de hipnoterapia online, o metaMe Connect, Ana diz que retornou à “normalidade”. Agora, consegue planejar com antecedência sem se preocupar se não estará bem. “Eu não tenho medo e não tomo decisões com base no medo”, disse ela.

sindrome do intestino irritavel

Imagem: Unsplash

Uma nova opção

Como a Síndrome do Intestino Irritável pode ser tão difícil de tratar, na última década, os programas de hipnoterapia direcionados ao intestino se espalharam pelo país.

O Mount Sinai em Nova York, a Universidade de Michigan , o Beth Israel Deaconess Medical Center em Boston, a Universidade de Washington em Seattle, o Baylor College of Medicine em Houston e o Loyola University Medical Center e o Northwestern Memorial Hospital na área de Chicago oferecem ou sugerem hipnoterapia para pacientes com SII.

A hipnoterapia dirigida pelo intestino é uma forma de hipnose. Os pacientes se encontram pessoalmente ou por videoconferência com um terapeuta, ou ouvem gravações que os guiam, passo a passo, para um estado de relaxamento.

Uma vez que os pacientes entram no estado hipnótico, eles são tomados através de exercícios de visualização e ouvem sugestões projetadas para acalmar seu trato digestivo e afastá-los do foco nas sensações do intestino.

Ao contrário de uma fita de meditação que qualquer pessoa pode aprender, esta terapia foi padronizada e testada. Uma das principais razões para a aceitação de gastroenterologistas em grandes hospitais.

Mais de 20 anos atrás, o psicólogo clínico Olafur Palsson, da Universidade da Carolina do Norte, começou a usar um conjunto específico de scripts em um protocolo que agora tem sido estudado extensivamente.

De 53 a 94% dos pacientes com SII responderam ao tratamento, dependendo do estudo, com benefícios que duram até um ano. A terapia aborda um problema que parece acompanhar várias doenças gastrointestinais: falta de comunicação entre o intestino e o cérebro.

Os músculos lisos da parede intestinal podem ser hiper-reativos, alterando os padrões normais de contração muscular. Além disso, o cérebro também pode estar interpretando mal os sinais normais do intestino.

Essa desconexão entre o intestino e o cérebro pode desencadear os muitos sintomas possíveis da SII.

Recente pesquisa recente sugere, por exemplo, que a hipnoterapia pode prolongar a remissão em pacientes com colite e aliviar a azia crônica inexplicável .

Hipnoterapia tem sido encontrada para ser mais eficaz com dor abdominal, cortando-a, em média, pela metade ou mais em muitos estudos.

“Esta não é uma questão psicológica, é neurológica”, observa Daniel Bernstein, que tem a doença de Crohn e lançou o metaMe Connect. “Você está retreinando como o seu cérebro e intestino se comunicam.”

sindrome do intestino irritavel
Imagem: Unsplash

Quando um intestino sensível precisa de tratamento?

Muitas pessoas lutam com sintomas digestivos, mas nunca as mencionam a um médico. É comum tentar muitos remédios por conta própria —  probióticos, evitar alimentos condimentados ou sem glúten.

Mas depois de um estar por um triz de quase não conseguirem chegar ao banheiro, as pessoas começam a reorganizar suas vidas para evitar as crises.

A experiência de Anna em ter medo é comum.

“As coisas que eu estava tentando não estavam funcionando, e parecia surgir do nada”, explicou ela.

Com o tempo, e especialmente em períodos de estresse, esse medo piorava o problema.

Conseguir um diagnóstico é um passo para uma ajuda eficaz. Para diagnosticar SII, que é estimado para afetar até 15 por cento dos adultos americanos, os médicos procuram por estes sinais: pelo menos três meses com dor abdominal frequente que é aliviada depois de defecar e que, originalmente, começou com uma mudança na frequência ou na qualidade de suas fezes.

A Síndrome do Intestino Irritável também tende a seguir por uma gripe de estômago ou uma rodada de antibióticos.

Sangue nas fezes, perda de peso, febre ou anemia sugerem outros diagnósticos possíveis. Se estiver passando por esses sintomas, você deve verificar se há algum problema auto-imune como Crohn, colite ou doença celíaca. Você também pode querer fazer um teste radiológico de seu abdômen à procura de crescimentos.

Por definição, a SII não tem uma causa clara. Mas a nova ciência tem sugerido possíveis fatores como variações genéticas e microbiomas intestinais alterados para subgrupos de pacientes, observa Palsson .

Um dos tratamentos mais comuns é a dieta de FODMAP, que exclui muitos vegetais e frutas, bem como o glúten. FODMAPs significa a família de carboidratos, monossacarídeos, dissacarídeos, oligossacarídeos e polióis, todas moléculas presentes nos alimentos.

Em um estudo de 2016, a hipnoterapia dirigida ao intestino combinou os resultados da dieta com baixo FODMAPs. Esta é uma notícia bem-vinda para pacientes com SII, já que isso abre um caminho mais fácil para, eventualmente, desfrutar de uma dieta mais ampla e saudável.

sindrome do intestino irritavel
Imagem: Unsplash

Como funciona

O programa leva três meses para ser concluído e requer atenção diária. Os pacientes recebem uma gravação de 15 minutos para ouvir todos os dias, ou pelo menos cinco vezes por semana.

Eles também têm sete sessões de 40 minutos com um terapeuta (pessoalmente ou em uma videoconferência) em intervalos de duas semanas.

Durante as sessões, os ouvintes são convidados para um cenário imaginário e solicitados a visualizar uma série de imagens, como uma cabana na montanha com paredes espessas e fortes que “permitem que você esteja confortável e à vontade por dentro, não importando quão forte as tempestades de inverno soprem lá fora”.

Eles também ouvirão garantias nos roteiros de que não precisam ser bem sucedidos na visualização, apenas experimentar o que podem.

Os scripts não abordam diarréia, constipação ou qualquer outro sintoma diretamente.

Em vez disso, eles descrevem o objetivo, com sugestões como: “Você se torna mais confortável e saudável a cada dia, tranquilo e tranquilo por dentro, como este lindo jardim isolado“.

Um estado hipnótico não parece estranho para um observador, embora seja ideal ouvir o roteiro em privacidade, sem qualquer risco de interrupção.

Depois do transe, as pessoas estão completamente alertas, por isso é possível ouvir a qualquer hora do dia.

 

Quer mais comprovações da eficácia da hipnose clínica? Veja aqui o que um estudo de Stanford fala a respeito!