Tutorial: Indução de Dave Elman

Em minha opinião, a indução de Dave Elman é a melhor de todas as induções rápidas, porque ela é muito permissiva.

digo isso porque o sujeito pode vivenciar a experiência no tempo dele. E sem se sentir pressionado de alguma forma.

Sempre que utilizo esta indução, falo para o sujeito que vou fazer com ele um exercício de Auto-Hipnose. Você também pode usar isso em seu pré-talk!

Agora vamos aos 5 passos da indução de Dave Elman!

1. Olhos desligados

O primeiro elemento da indução de Dave Elman são os olhos desligados. É importante fazer o teste, confirmar se o sujeito realmente não consegue abrir os olhos. Para Dave Elman, os testes eram essenciais.

Quando você for realizar o teste, precisa ter a roupa do mago. Ter a confiança de testar esses olhos e ver se estão realmente desligados.  

Geralmente, começo com a seguinte fraseologia:

Feche os olhos, respire fundo e imagine um dia em que você acordou cedo, mas não precisava acordar cedo.

Um dia em que você queria apenas descansar e relaxar. E como naquele dia, você sabe que pode abrir os olhos a qualquer momento, mas prefere não abrir.

Prefere deixar os olhos pesados, desligados, relaxados. E como naquele dia, talvez você escute um barulho de um carro, ou até mesmo de alguém conversando ao telefone.

No entanto, esse barulhos indistintos ao fundo vão apenas permitir que você se aprofunde ainda mais nessa experiência.

E para relaxar ainda mais, comece a se concentrar nos músculos da região dos olhos. Relaxe esses músculos completamente. Desligue cada fibra muscular. Vá desligando, vá relaxando…

Concentre-se no relaxamento dos músculos da região dos olhos. Relaxe-os a um ponto que eles simplesmente não vão funcionar mais.

E somente quando você tiver certeza que já desligou esses olhos, que eles não funcionam mais, permita-se um único teste de tentar abrir e não conseguir.

Você vai perceber que, enquanto realizo a indução, frequentemente pergunto para a pessoa:

Já testou esses olhos? Responda apenas com sua cabeça. Já testou se esses olhos estão realmente desligados?

Algumas pessoas fazem todo o sinal de que tentaram abrir os olhos. Mas ao final do processo, como eu não confirmei isso, ela simplesmente fala: “Ah, mas eu não tentei de verdade”, ou algo do tipo.  

Por isso, eu sempre gosto que o sujeito me confirme: “Sim, eu tentei abrir e não consegui”. Ao menos fazendo um sinal com a cabeça.

2. Distribuição do relaxamento por todo o corpo

Após confirmar o desligamento dos olhos, o segundo elemento é a distribuição desse relaxamento por todo o corpo.

Para fazer isso, podemos usar a seguinte fraseologia:

Simplesmente permita que o relaxamento dos músculos dos olhos se distribua por todo o seu corpo, em direção aos pés. Em direção as mãos, numa onda quente de relaxamento e você desliga e relaxa mais e mais…

Inspire profundamente… Segure o ar… Solte e relaxe mais e mais…

3. Fracionamento

O que é fracionamento? Toda vez que alguém entra em transe, sai e entra de novo, ela volta de forma mais profunda nesse transe. Algo semelhante ao modo soneca do seu despertador!

Você tem a ideia de acordar cedo e acordar, com o despertador ou não, às 7h da manhã.

Só que você tem aquela preguiça, e quando você acorda, seu organismo começa a liberar cortisol. Este são hormônios relacionados com o despertar.

Então, você aperta o modo soneca uma vez e volta a dormir. Naquele momento, o seu corpo começa a produzir hormônios de relaxamento, relacionados ao sono, pois entende que você quer dormir.

O problema é que, quando você acorda novamente depois da soneca, está com mais sono do que estava antes.

Nesse momento, você percebe que pode dormir mais um pouco. E mais uma vez aperta o modo soneca do seu celular.

Você volta para o sono. E quando, mais uma vez acorda, volta em um estado ainda mais profundo de relaxamento.

Se você ficar apertando o modo soneca várias vezes, pode acontecer uma coisa interessante. Você vai ter um sonho muito realista em um minuto e meio.

Esse mesmo elemento existe na indução de Dave Elman. É o motivo pelo qual o sujeito entra tão profundamente em transe. Cada vez que o sujeito abre e fecha os olhos, ele afunda ainda mais nesse estado.

Geralmente, fazemos o fracionamento três vezes com o sujeito, usando a seguinte fraseologia:

Em algum momento, eu vou pedir para você abrir e fechar os olhos e cada vez que você abre e fecha os olhos, relaxa duas vezes mais.

  • Feche os olhos, isso… Abra os olhos…
  • Fecha os olhos, você está indo muito bem. Em algum momento, você vai fazer isso mais uma vez e vai relaxar seu corpo ainda mais…
  • Abra os olhos… feche os olhos. Muito bem.

Não existe teste para o fracionamento. Após terminar essa fase, vamos para o 4º passo!

4. Teste do pulso

Indução de Dave Elman – Tutorial

No teste do pulso, geralmente você fala o seguinte:

Se você tiver seguido minhas instruções, seu corpo está pesado como um pano molhado.

Quando eu tocar no seu pulso (direito ou esquerdo, pode ser o que estiver mais próximo) direito, ele estará pesado como um pano molhado.

Em algum momento vou pegar esse pulso. Permita que ele esteja pesado como um pano molhado.

Eu não falo que o braço dele vai estar pesado como um pano molhado, mas que se ele tiver seguido minhas instruções, ele vai estar.

E quando eu tocar, falo que ele vai permitir estar pesado como um pano molhado. Porque se eu falar que o braço dele vai estar pesado e não estiver, ele tem a impressão de que eu menti.

Lembre-se: A indução de Dave Elman é Auto-Hipnose. Eu jogo toda a responsabilidade para o sujeito. Então, falo que esse pulso vai estar pesado como um pano molhado, mas que foi ele que permitiu isso.

 

Esse teste pode ter alguns resultados. Inclusive, esse é o principal motivo de ser muito mais fácil fazer a indução de Dave Elman sentado. Até porque o peso do pulso fica muito mais claro.

Quando fazemos a indução de Dave Elman em pé, essa sensibilidade do pulso não fica tão fácil de ser observada. Então, o ideal é fazer sentado.

O teste do pulso não é apenas um teste de relaxamento.  Às vezes, só de eu aproximar a mão do sujeito, ele levanta a mão. Ele quer ter controle.

Também é um teste de confiança e autoridade. É o teste de insubordinação. Tem gente que afunda bem no transe. Mas quando chega ao teste do pulso, inconscientemente, mexe com a mão. Ele não quer que você toque essa mão.

Então, se o sujeito estiver com a mão dura. Se tiver mexido. O que você vai fazer? Vai dizer: “Isso, muito bem”. Sempre elogia. “Muito bem, mas relaxe muito mais ainda. Relaxe duas vezes mais.” E faça o teste do pulso mais uma vez. Solte e dê a sugestão para ele relaxar mais e mais.

Após concluir o teste do pulso, vem a parte que, os alunos em geral, tem mais receio! É a amnesia dos números.

5. Amnésia dos números

Você já relaxou seu corpo. Mas é hora de você também relaxar a sua mente e para relaxar sua mente.

Em algum momento, eu vou pedir para você começar uma contagem regressiva apenas na sua mente.

Essa contagem regressiva é a partir do número 100. Mas quando você chegar perto do 98 ou até mesmo antes, permita que os números vão embora. E eles se vão… Pode começar mentalmente… 100… E eles vão sumindo… 99… Permita que eles vão sumindo… Prepare-se para que eles possam sumir agora…

Quando a pessoa começar a conta, você vai falando: “E eles vão sumindo, eles vão sumindo...” Só que, às vezes, mesmo que o sujeito esteja dando boas respostas, por exemplo, a voz vai diminuindo enquanto ele conta. Você percebe que ele não está parando de falar.

Lembre-se: você já falou vão sumir antes do número 98. Então ele não pode chegar no número 96, essa é a dica: ele não pode falar o número 96.

Então, se ele começou a contar: “100, 99, 98, 97…” você diz “Pode parar de contar agora.”.

Às vezes o sujeito insiste “96”, mas enfatize: “Pode parar de contar”. 

Em algum momento, você vai inspirar o ar bem profundamente. Inspire profundamente o ar.

Quando falo pra ele inspirar profundamente, eu também inspiro junto para que ele me siga.

Vai soltando devagar,e sopre os números pra bem longe, sopre eles pra bem longe.

Ou seja, eu interrompo a contagem e falo que os números vão sumir depois de soltar o ar. Depois, eu pergunto: “Responda apenas com sua cabeça. Eles já sumiram?”.

Eles não esqueceram antes porque estavam engajados na tarefa de contar. Mas agora que falei que o importante é soprar, eles sopraram. Agora entendem que o mais importante é fazer os números sumirem.

Se, eventualmente, eu fizer essa soprada e ele não tiver sumido. Eu vou falar:

Não tem problema. Os números não importam mais. Inspire profundamente. Solte o ar e jogue eles pra bem longe. Ainda mais longe que antes.

Aí eu pergunto mais uma vez: “Responda só com sua cabeça. Eles já sumiram?” Aí a pessoa confirma, e tudo bem. Se a pessoa falar que não sumiu, eu não vou ficar insistindo nisso.

Inclusive, não é o que os professores de Dave Elman recomendam. Mas eu faço um pouco diferente. Nesse momento eu vou esclarecer.  Eu simplesmente falo: “Os números não importam mais” e faço o que eu tenho que fazer.

 

Dave Elman falava que a amnésia era essencial para atingir um nível de sonambulismo. Porque, se eu estou no nível de sonambulismo, eu consigo fazer Hipnoanálise.  Consigo fazer anestesia e muito mais.

No entanto, existe algo que eu acho mais importante do que nível de transe.

Acolhimento e empatia. Se eu permitir ao sujeito pensar que tudo está dando certo e simplesmente utilizar técnicas para gerar um contexto terapêutico m,esmo em um nível de transe mais superficial, ele estará caminhando em direção ao resultado que deseja.

 

 

Gostou da indução de Dave Elman? Conte nos comentários se funcionou para você!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp