Conheça a História de Milton Erickson

Tempo de leitura: 7 minutos

5 (100%) 1 vote

A hipnose ericksoniana é bastante conhecida no ramo da hipnose. E a história de vida de seu criador, Milton Erickson, é muito relevante para o seu método.

Em resumo, sua abordagem seria caracterizada como experiencial, e fenomenológica. É focada na resolução de problemas, utilizando qualidades do próprio cliente.

Neste artigo, você encontrará:

Leia mais para saber mais a respeito sobre este grande nome da hipnose!

Quem foi Milton Erickson

Milton Hyland Erickson foi um psiquiatra norte-americano especializado em hipnose médica e terapia familiar. Ele também foi o fundador da Sociedade Americana para Hipnose Clínica.

Erickson sofreu de deficiências físicas durante a maior parte de sua vida. Aos 17 anos, ele contraiu poliomielite e chegou a ficar tão paralisado que os médicos acreditavam que ele morreria.

Enquanto se recuperava na cama, quase totalmente coxo e incapaz de falar, tornou-se fortemente ciente do significado da comunicação não-verbal — linguagem corporal, tom de voz. Isto é, o modo como essas expressões não verbais contradiziam diretamente as verbais.

Ele também começou a ter “memórias corporais” da atividade muscular de seu próprio corpo. Concentrando-se nessas memórias, ele lentamente começou a recuperar o controle das partes de seu corpo. Ao ponto de finalmente poder falar e usar seus braços novamente.

Um caso de sua vida foi uma viagem de canoa de 1.600 km. Seu médico recomendou-lhe esse exercício para aumentar a força da parte superior de seu corpo. Com o intuito de ser capaz de frequentar a faculdade.

Sua aventura foi desafiadora. E embora não trabalhou com suas as pernas no final, era capaz andar com uma bengala.

Milton Erickson
Imagem: Erickson Foundation

Carreira

A carreira de Milton H. Erickson durou mais de 50 anos. Ele conduziu uma extensa pesquisa sobre sugestão e hipnose.

Primeiro como estudante de graduação na Universidade de Wisconsin. Mais tarde, durante sua formação médica e durante suas primeiras consultas como psiquiatra em Rhode Island, Massachusetts e Michigan.

No final da década de 1930, Erickson era renomado por seu trabalho em hipnose e nos círculos psiquiátricos.

Em 1948, Erickson mudou-se de Michigan para Phoenix.

Logo, em 1949, por necessidade médica, abriu um consultório particular em sua casa. Apesar da dor física quase constante e intensa, e a perda progressiva de mobilidade, deixando-lhe em uma cadeira de rodas, em seus últimos anos, o Erickson estava prodigiosamente ativo.

Sociedade Americana de Hipnose Clínica

Em 1957, ele e vários colegas fundaram a Sociedade Americana de Hipnose Clínica. Erickson foi o presidente inaugural.

Ele também fundou o American Journal of Clinical Hypnosis e foi editor por 10 anos. Durante os anos 50 e 60, Milton Erickson teve diversas publicações. Viajou e lecionou, tanto internamente quanto no exterior.

Continuou a conduzir pesquisas. Estava em alta demanda como psiquiatra experiente.

Na década de 1970, restrito a sua casa por sua condição física, Erickson ainda conduzia seminários de ensino para profissionais quase diariamente. E continuava visitando alguns pacientes.

Quando ele morreu em 25 de março de 1980, aos 78 anos, seus seminários foram reservados até o final daquele ano e os pedidos excederam o prazo de mais um ano. Erickson deixou um legado escrito de mais de 140 artigos acadêmicos e cinco livros sobre hipnose que ele é co-autor.

Desse modo, conhecer a história de Erickson é importante para entender a sua terapia. Sua história de esperança e resiliência inspirou a muitos que quiseram aprender a com ele.

Hipnose tradicional x ericksoniana

A abordagem ericksoniana afasta-se da hipnose tradicional de várias maneiras.

Por hipnose clássica entende-se a indução de transe formal associada às sugestões diretas.

Para que a sugestão direta, em relação ao problema do sujeito, seja efetiva, é necessária a profundidade do transe.

Em virtude das resistências naturais da mente consciente, torna-se necessário que o sujeito esteja num nível mais profundo de transe.

Embora o processo de hipnose tenha sido, normalmente, conceituado como uma questão de o terapeuta emitir instruções padronizadas para um paciente passivo, a hipnose de Erickson enfatiza a importância do relacionamento terapêutico interativo e do envolvimento intencional dos recursos internos e da vida experiencial do sujeito.

Erickson revolucionou a prática da hipnoterapia ao reunir inúmeros conceitos originais e padrões de comunicação no campo.

O que é a hipnose ericksoniana

O método de hipnose criado por Milton Erickson consiste em fazer um tipo exclusivo de transe para cada cliente.

Mesmo seguindo uma indução padronizada, esta fica ao molde do seu cliente, de acordo com um critério de avaliação de como cada pessoa é.

A espontaneidade é parte fundamental para aceitar o que o cliente traz, inclusive sua resistência ao tratamento. O hipnoterapeuta utiliza-se deste material para ir, passo a passo, para dentro do cliente.

Em outras palavras, é um método baseado numa linguagem de fácil acesso a cada cliente. Em utilizar coisas do próprio contexto do cliente para colocá-lo em transe. E não em induzir um transe formal ou colocar uma fita de indução impessoal.

O transe, para ele, é visto como uma experiência natural a todas as pessoas. O terapeuta captura a atenção do cliente através de aspectos de interesse deste, e com uma linguagem característica.

Milton Erickson
Imagem: Erickson Foundation

A terapia evolui de dentro do paciente. E, como resultado, as mudanças ocorridas serão mérito do paciente, e não do terapeuta.

Portanto, a hipnose ericksoniana estimula a confiança e o crescimento do paciente, que busca a ajuda e percebe que a ajuda já está dentro dele. E que aquilo que ele pensou que fosse resistência, preguiça, desânimo… Pode ser o caminho para a cura e o bem-estar.

É ressignificar aquilo que era visto como negativo. Há sempre dois lados de uma mesma moeda.

Os papeis do hipnotista e do cliente

Apesar dos papeis do hipnoterapeutas e do cliente serem distintos, nenhum deles é restrito por um protocolo.

Em vez disso, cada um é livre para explorar qualquer direção ou possibilidade provocada através do processo.

Nesse sentido, a terapia ericksoniana é uma perspectiva de aprendizado, cura e crescimento que promove a flexibilidade de uma forma adaptativa contínua.

Assim, os hipnotistas são indicados a serem flexíveis e criativos com o cliente, em um trabalho colaborativo com ele. O padrão pelo qual o progresso é medido é subjetivo.

Igualmente, estabelecido pelo cliente em relação aos seus objetivos pessoais (isto é, fenomenológico).

Nesta abordagem, a relação terapêutica existe para satisfazer as necessidades do cliente.

Assim, neste esforço cooperativo, o terapeuta aceita e encoraja as tentativas do cliente de dirigir e influenciar o processo terapêutico. Por sua vez, o cliente está mais aberto à influência da terapia.

O relacionamento que gira em torno da cooperação, pode ser descrito como recíproco e auto-reforçador.

Alberto Dell’Isola e a hipnose ericksoniana

Cabe mencionar que Alberto Dell’Isola trabalha mais com o viés sociocognitivo da hipnose; isto é, comportamental.

No entanto, em seu Curso Virtual de Auto-Hipnose, trata um pouco sobre a hipnose ericksoniana.

Principalmente, porque é inegável a importância de Milton Erickson para a história da hipnose. E não poderia não mencioná-lo em seu conteúdo.

Para iniciar este tipo de terapia, você tem que ser você mesmo, como pessoa. Você não pode imitar a alguém, você tem que fazer do seu jeito. (Milton Erickson)

O que é e como fazer auto-hipnose?

 

Fonte: