Programação Neurolinguística (PNL): Qual A Sua Origem?

Qual a origem da Programação Neurolinguística, popularmente conhecida como PNL?

Confira este artigo para saber mais!

[toc]

O problema com o termo “Programação Neurolinguística”

Quando pensamos em PNL, as pessoas associam a palavra neuro com cérebro, e a forma como ele processa informações.

Associam programação com o entendimento de como o cérebro funciona e o termo linguística com o uso da linguagem.

Sendo assim, Programação Neurolinguística seria o uso da linguagem para reprogramar o cérebro. 

Só que esse termo está incorreto pelo seguinte motivo: muito antes do surgimento da PNL nos anos 70, já tínhamos um termo da Neuropsicologia para Neurolinguística.

Neurolinguística é um estudo feito em relação as regiões neuroanatômicas do nosso cérebro e aquisição de linguagem.

Ou seja, quando eu falo de estudar Neurolinguística, estou estudando também a anatomia do cérebro.

Quando a PNL se apropria desse termo, Neurolinguística, você percebe que foi um termo escolhido de forma completamente aleatória porque a PNL não se preocupa com a ciência ou com o que acontece no cérebro de verdade.

A história da PNL

A PNL se preocupa com modelos e técnicas em busca da excelência. Mas olha só, esse nome não era PNL desde o início. 

Em 1971, dois pesquisadores da Universidade de Santa Cruz, na Califórnia, estudavam a psicologia da Gestalt e o humanismo, e estavam identificando padrões de terapia.

Eles são conhecidos como os “pais da PNL”: Richard Bandler e Frank Pucelik

Bandler e Pucelik estudavam principalmente Gestalt-terapia com Fritz Perls

Então, Bandler estudava muito os seminários do Fritz Perls e também estudava muito o trabalho da Virginia Satir.

Quando surgiu a PNL

No início, Bandler e Pucelik trabalhavam com um grupo de estudos de Gestalt: meta.

Neste grupo, eles começam a fazer um processo chamado de modeling; ou modelamento, em português.

Eles queria fazer o modelamento de Fritz e Virginia, reproduzindo tudo que fosse útil das suas técnicas e abordagens terapêuticas.

Tanto Frank Pucelik quando Richard Bandler conseguiram identificar vários padrões de comportamento e de linguagem, que eram usado por Fritz Perls e Virginia Satir. E quando eles aplicavam as técnicas modeladas nos alunos do grupo META, funcionava perfeitamente. 

A chegada de John Grinder

No entanto, quando eles ensinavam as técnicas. Isto é, transmitiam para os alunos tudo o que identificaram no modelamento, os alunos do grupo de estudo não conseguiam o mesmo resultado. 

A partir daí, eles perceberam que, inconscientemente, haviam incorporado alguns padrões de comunicação que nem eles mesmos sabiam.

Para conseguirem descobrir qual “código” estava faltando na hora de ensinar as técnicas para os alunos, eles chamaram o professor de Bandler, John Grinder.

No momento em que os três começam a trabalhar juntos, a PNL ganha ainda mais força. Grinder conseguiu descobrir o que estava faltando.

Conforme Grinder foi ficando mais atuante na PNL, Pucelik foi sendo deixado de lado. Em vez de ser colaborador do Richard Bandler, ele passou a ser apenas líder do grupo de estudo, até que, entre os anos 1976 e 1997, Pucelik foi completamente desligado do grupo de Richard Bandler.

Os verdadeiros motivos da sua saída não foram divulgados, mas ao sair do grupo, ele começou a criar grupos separados chamados META, que era o nome do primeiro grupo de estudos.

Infelizmente esses grupos acabaram não se perpetuando. Pucelik recebeu um convite para trabalhar na Rússia. Então, no final dos anos 80, ele foi para Rússia e dava treinamentos, principalmente na Ucrânia, e ficou lá bastante tempo.

Ele voltou a ser reconhecido pela comunidade da PNL recentemente, bem depois dos anos 2000. O mais curioso é que o nome PNL surge principalmente porque Richard Bandler queria desvincular o trabalho dele dos grupos META, criados por Pucelik.

Modelamento ou modelagem? 

Talvez você já tenha visto essas técnicas de modelamento com o termo modelagem.

O termo modelagem já é utilizado na psicologia a muito mais tempo, no Behaviorismo. Que em inglês chama Shaping.

No Behaviorismo, quando quero ensinar um comportamento para alguém ou até mesmo para um cachorro, eu faço a modelagem.

Ou seja, se eu quero ensinar um cachorro a dançar, ele não vai começar dançando. Mas eu pego o primeiro comportamento que ele tiver de pular, depois eu vou fazendo a modelagem. Vou acrescentando mais movimentos, até ele conseguir dançar de verdade.

Por essa razão, no que tange a identificar padrões de excelência, prefiro o termo modelamento.

Então, voltando à história da PNL. A partir de 1977, Richard Bandler e John Grinder ficaram conhecidos como os grandes nomes da Programação Neurolinguística. 

Alguns anos mais tarde, Bandler e Grinder também acabam se desvinculando um do outro.

 

Quer saber mais sobre hipnose clínica?

Hipnose clínica: como funciona?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp