O que é pseudo-hipnose? Saiba mais sobre os testes de suscetibilidade

Nesse artigo, vamos falar sobre um termo que é popularmente conhecido na hipnose: a pseudo-hipnose. O termo correto é teste de suscetibilidade, e em resumo, são exercícios de concentração que não envolvem, necessariamente, a experiência do transe hipnótico, mas estão ligados a processos fisiológicos.

Vamos falar também sobre 3 testes de suscetibilidade para você começar a fazer. Continue a leitura para descobrir!

O que é um teste de suscetibilidade?

Um teste de suscetibilidade se baseia em um processo puramente fisiológico – que diz respeito às funções orgânicas do corpo – e dizer que o que aconteceu foi hipnose. De forma a enganar o sujeito e ele fechar a resistência em relação ao processo de hipnose. Ou seja, que o sujeito se convença que está sendo hipnotizado.

O hipnotista frequentemente vai mentir para o sujeito. Mas, cuidado! Ele mente no sentido que o pré-talk não se faz para informar o que é a hipnose, mas para hipnotizar, de fato.

A principal vantagem é a de elevar a expectativa da pessoa que será hipnotizada. Por exemplo, a pessoa experienciando um teste de suscetibilidade e acabar acreditando que é hipnose, essa pessoa se tornará mais aberta para todo o processo da hipnose.

Quais os testes de suscetibilidade mais utilizados?

1. Dedos magnéticos

Por que a rotina dos dedos magnéticos é considerada um teste de suscetibilidade?

A razão é porque, nesse exercício, existe um elemento fisiológico que vai fazer os dedos se aproximarem. Isto é, não necessariamente esses dedos estão se movendo por causa da sugestão. Aprenda a fazê-la com o vídeo abaixo.

2. Mãos coladas

Esse exercício pode ser considerado um teste de suscetibilidade igualmente pelo forte elemento fisiológico.

Ao deixar o braço muito tempo com as palmas viradas para frente, os músculos do braço acabam se acostumando a essa posição. Eventualmente, com o passar do tempo da rotina, fica cada vez mais difícil abrir descolar as mãos. 

3. Olhos colados

O exercício dos olhos colados usa o teste de suscetibilidade para que o sujeito olhe para cima e não consiga abrir os olhos. Ao virar os olhos para cima e mantê-los virados pra cima, é impossível abrir o olho! É impossível por uma questão fisiológica. Ou seja, não é hipnose também. Aprenda o tutorial com o vídeo a seguir.

Essa rotina é muito diferente dos outros dois exercícios porque é infalível. Ele sempre vai funcionar, em geral, da mesma forma. Por isso, é difícil perceber se esta pessoa está com o olho colado pela fisiologia ou pela sugestão.

Quais as melhores técnicas existentes?

Existe uma grande diferença entre esse três exercícios. Uma questão que vai tornar os dedos magnéticos e as mãos coladas muito melhores do que o exercício de colar os olhos.

Os dedos magnéticos, como você já sabe, possuem um elemento fisiológico. No entanto, apesar de existir esse elemento fisiológico, existe uma possibilidade de avaliação do progresso do fenômeno.

Eu consigo avaliar se ele está melhorando a ponto de se tornar uma hipnose. Então, os dedos magnéticos se atraem por causa da fisiologia, mas não é por causa da fisiologia que eles acabam ficando colados.

O mesmo vai acontecer com o teste das mãos coladas. A fisiologia vai fazer a pessoa, talvez, soltar a mão com certa dificuldade, mas a fisiologia não é capaz de travar essas mãos e torná-las estáveis!

Ou seja, se as mãos do sujeito chegam a travar, e mesmo você conversando com ele, essas mãos ficam presas de uma forma que a pessoa não consegue soltar, o teste de suscetibilidade evoluiu para uma hipnose de verdade.

Hipnose clínica: como funciona?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp