O Que São Mecanismos de Defesa?

Tempo de leitura: 5 minutos

5 (100%) 1 vote

Você sabe o que são os mecanismos de defesa? Provavelmente já deve ter ouvido falar sobre eles, ainda mais se você é um hipnoterapeuta.

São conceitos estudados na Psicologia, principalmente na Psicanálise. Agora, este artigo possui o objetivo apenas de explicar o que são os principais mecanismos de defesa. Se quiser aprofundar mais sobre o tema, recomenda-se pesquisar sobre psicanálise.

O que são os mecanismos de defesa?

Em resumo, são estratégias da nossa mente inconsciente para proteger-nos de sentimentos que a consciência não consegue tolerar.

Tem dois objetivos de sobrevivência: evitar a dor e buscar pelo prazer.

Abaixo, listo alguns dos principais mecanismos de defesa:

  • Racionalização;
  • Repressão;
  • Negação;
  • Projeção;
  • Deslocamento;
  • Isolamento;
  • Sublimação.

Continue lendo para saber do que se trata cada um deles!

Racionalização

Esse mecanismo de defesa tenta racionalizar pensamentos, ações e sentimentos que são incompatíveis ou inaceitáveis para a nossa mente consciente.

Busca por explicações racionais e lógicas.

Por exemplo, um indivíduo que é homofóbico, um fundamentalista religioso. Ele possui um colega de trabalho que é homossexual, e vai procurando defeitos e implicações com essa pessoa. Sabe, inconscientemente, que seu colega é homossexual, mas sua consciência não quer assumir sua condição de homofóbico. Portanto, começa a criar várias razões em sua cabeça para justificar o seu comportamento.

Ou também a famosa fábula da raposa e as uvas:

Uma raposa tenta, sem sucesso, comer um cacho de uvas penduradas em uma vinha alta. Ao não conseguir alcançá-las, afasta-se, e diz que as uvas estariam verdes. Cria desculpas e justificativas por comodismo e por não querer obtê-las.

O que são mecanismos de defesa

Repressão

A repressão afasta da mente consciente eventos e ideias que são difíceis de lidar. Bloqueia memórias, chegando até a distorcê-las.

Por exemplo: Uma avó que é bastante carinhosa com toda a sua filha afirma que nunca bateu em seus filhos. Quando, na verdade, eles foram sim agredidos e humilhados. Essa memória foi reprimida e afastada da mente da avó, porque em sua mente consciente, é difícil lidar com elas, hoje em dia.

Ou um adulto que foi abusado sexualmente na infância, e na sua vida adulta não se lembra disso ter acontecido. A repressão trabalha para bloquear essas lembranças de traumas.

Negação

A negação procura bloquear da mente consciente a percepção de um evento externo. É algo que ocorre muito nas pessoas que vivenciam o luto.

As etapas do luto são: negação, raiva, negociação e aceitação.

Isto é, primeira nega o ocorrido, não consegue acreditar que tal pessoa tenha falecido. Em seguida sente raiva e ódio. Logo, barganha, tenta negociar para reverter o processo, para que algo diferente aconteça. Acaba entrando em depressão. Por fim, aceita o luto.

Mas nem sempre a negação vem com o luto. Pode vir em eventos parecidos, como a demissão de um emprego. A crença de que o cargo não foi perdido, que é possível recuperá-lo a qualquer momento.

É a negação do que está acontecendo, consciente ou inconscientemente, na vida da pessoa.

Projeção

Quando a pessoa tem pensamentos desagradáveis, pode começar a atribuí-los a outras pessoas.

Como pessoas que são infiéis com seus parceiros, mesmo que só em pensamento, começam a achar que o outro também está traindo. Começam a ter um comportamento muito ciumento com o outro.

Até um homem impotente sexual. Por não conseguir pensar em si como alguém impotente, atribui à parceira um mal desempenho sexual.

O próprio pensamento é tão desagradável que começa a projetar no outro os pensamentos negativos.

Deslocamento

Esse mecanismo de defesa é o redirecionamento dos impulsos negativos agressivos em direção a um alvo menos ameaçador.

Todos conhecem alguém que leva muito desaforo do trabalho para casa. É diariamente humilhada pelo chefe. Chegando em sua casa, desconta a frustração, a raiva, a agressividade toda com a sua família.

O que são os mecanismos de defesa

A Psicologia Cognitiva utiliza do termo atribuição equivocada. Por exemplo, quando o sujeito vai a um restaurante e é muito bem tratado pelo garçom, mas a comida vem queimada. O cliente enfurece-se com o garçom, negando-lhe a gorjeta.

O cliente sabe que o garçom nada tem a ver com o fato da comida estar queimada, mas, mesmo assim, atribui-lhe, equivocadamente, o erro ao garçom. Só porque ele está mais próximo.

Do mesmo modo ocorre com o bullying. Pessoas que o praticam geralmente sofreram agressões em casa. Preferem deslocar a raiva, descontá-la em pessoas mais frágeis.

Isolamento

Neste caso, isola-se um pensamento específico de vários outros. E não permite uma interação entre esses pensamentos.

Como pessoas que roubam mas não se sentem culpados por isso. Ou até perdem alguém e igualmente não sentem a perda.

Sublimação

Por fim, esse mecanismo de defesa é a satisfação de um impulso socialmente inaceitável, mas por meio de um comportamento que é socialmente aceitável.

Em outras palavras, o indivíduo possui desejos, sexuais ou não, que tenham a ver com seus instintos. Canaliza-os em trabalho intelectual, na arte, no emprego… Em qualquer coisa que dê prazer e que se sinta envolvido.

Basicamente, redireciona os instintos para outras questões, pois não é possível, também, usá-los o tempo todo.

Freud falava que a sublimação foi a solução que o homem teve para poder viver em civilização. Ao surgir a sublimação, o homem era capaz de redirecionar seus impulsos para outras soluções.