Por que estudar neurociência? Veja 5 motivos para começar agora mesmo!

Tempo de leitura: 5 minutos

5
(1)

Se você costuma ler notícias sobre qualquer tema que envolva o cérebro, provavelmente já está familiarizado com os resultados obtidos ao estudar neurociência. Afinal, essa área é voltada para desvendar o funcionamento do sistema nervoso, bem como ele reage a possíveis alterações sofridas. 

Mas afinal, para que serve tudo isso? Qual o benefício de estudar neurociência e como isso pode ser aplicado nas mais diferentes áreas? 

Veja a importância da neurociência e algumas maneiras pelas quais esses conhecimentos podem impactar o dia a dia da humanidade! 

O que é neurociência?

Estudar neurociência nada mais é do que fazer pesquisas para desvendar tudo o que envolve o sistema nervoso. Assim, rodeia tanto a análise estrutural do cérebro, quanto dos nervos periféricos e medula espinhal, abrangendo o entendimento do controle neural de áreas responsáveis: 

  • pelas funções vegetativas, sensoriais e motoras; 
  • pelos comportamentos de locomoção, 
  • pela reprodução e alimentação;
  • pelos mecanismos da atenção, 
  • pela memória, aprendizagem;
  • pela emoção;
  • pelo desenvolvimento da linguagem e comunicação, entre outras. 

Dessa forma, ao estudar neurociência é possível tentar desvendar como os aspectos anatômicos interferem diretamente nas funções cognitivas. Como o sistema nervoso é complexo, as pesquisas relacionadas a ele envolvem as mais diversas áreas, além da biologia como, por exemplo:

  • matemática;
  • química;
  • linguística;
  • psicologia. 

Já que trata-se de um estudo complexo, que abrange muitas áreas tanto ligadas à fisiologia quanto ao emocional, ao estudar neurociência as equipes se dividem em diversas ramificações. 

Há, por exemplo, a neurociência comportamental, que procura compreender como o sistema neurológico influencia os comportamentos e atitudes das pessoas. Já a neurociência cultural procura compreender como as vivências culturais de cada sociedade influenciam no desenvolvimento da massa cinzenta do cérebro (envolvida no controle muscular e na percepção sensorial) e assim por diante.

Cinco motivos para estudar neurociência 

Estudar neurociência traz benefícios e avanços em diversas áreas. Conheça alguns deles e descubra a importância de investir nessa área.

Compreensão de doenças e como elas agem

Há diversas doenças que são de origem neurológica e podem levar a pessoa a ter perda de memória, de localização ambiental e até à morte. Por meio da neurociência, é possível compreender como essas doenças atuam e prejudicam o funcionamento do sistema nervoso.

Ao compreender esses processos, é viável buscar por tratamentos mais eficientes e que possam aumentar tanto a expectativa quanto a qualidade de vida de pacientes acometidos. Assim, estudar neurociências é importante tanto para descobrir as causas e implicações de uma dor de cabeça, quanto para busca pela cura ou tratamento eficiente para casos mais graves, como a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) por exemplo. 

Ações de marketing mais eficientes 

Aos estudar neurologia também é possível conquistar benefícios no mundo corporativo. Uma das áreas que é diretamente beneficiada é a de marketing. 

Isso é viável porque, ao estudar neurociência, há diversas áreas que analisam e encontram respostas sobre o comportamento humano. Dessa forma, é viável compreender, de maneira mais eficiente, como as pessoas são influenciadas emocionalmente e fisiologicamente

Influenciar pessoas, da maneira certa, é tudo que o setor de marketing precisa e é por isso que esses estudos estão, cada dia mais, sendo levados em consideração. A isso dá-se o nome de neuromarketing.

Facilitação de aprendizado

Quais as melhores formas de ensinar algo? Como funciona o aprendizado? Ao estudar neurociência, perguntas como essas podem ser respondidas, ou seja, ela colabora para melhorar o sistema de ensino e de aprendizagem.

Isso é importante tanto para escolas e universidades, quanto para o mundo corporativo, já que permite encontrar a melhor maneira de ensinar e treinar os colaboradores, visando adquirir melhores resultados.

Controle do estresse

Ao estudar neurociências, os pesquisadores conseguem compreender as alterações que o estresse provoca no organismo humano. Além das de ordem mental, há as fisiológicas. Foi assim que foi descoberto que norepinefrina e a epinefrina, duas catecolaminas, são as mediadoras desses episódios. Essas substâncias são liberadas no organismo pela medula da glândula suprarrenal e pelo sistema nervoso simpático.

Embora diversas pessoas sejam submetidas a agentes estressores diariamente, a maneira como cada uma reage é diferente. Por meio do estudo, é possível compreender como o estresse afeta o organismo humano e encontrar maneiras de minimizar os danos, como os cardiovasculares, que ele causa. 

Além disso, por meio dela é viável descobrir os gatilhos mentais que fazem com que essa produção de catecolaminas seja desencadeada no organismo e fazer com que eles possam ser evitados ou ressignificados, como é feito, por exemplo, na hipnoterapia

Desenvolvimento de habilidade de liderança

Compreendendo as características necessárias para ser um bom gestor, como a capacidade de comunicação e empatia, os conhecimentos da neurociência pode ajudar no desenvolvimento dessas habilidades, para que novos líderes sejam formados e os atuais se desenvolvam. 

Isso pode ser trabalhado com base no conhecimento adquirido ao estudar a mente e o sistema nervoso. Por meio desses conhecimento, podem ser aplicadas metodologias como a hipnoterapia, por exemplo, para que essas características venham a ser desenvolvidas. 

Além disso, a neurociência também ajuda a controlar transtornos com, por exemplo, a de compulsão alimentar. Veja como isso é feito

Esse artigo foi útil?

Clique na estrela para pontuar!

Média de pontuação 5 / 5. Vote count: 1

No votes so far! Be the first to rate this post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *