Psicologia

3 minutos Você conhece mesmerismo e fascinação? Tratam-se de técnicas que permitem ajudar o outro por meio do toque ou do olhar. De acordo com elas, é possível fazer com que a pessoa entre em equilíbrio e até em transe, sem falar uma palavra sequer. Embora as técnicas não sejam tão populares, elas são muito usadas. Além disso, algo semelhante é feito na chamada de hipnose não-verbal, que é muito usada no tratamento de autistas.  Conheça mais sobre o mesmerismo e fascinação e suas Continue lendo

5 minutos A ideia de que o amor de mãe é o maior do mundo e que ela fará sempre o que for melhor para o filho nem sempre é um fato. Há casos de mães narcisistas, que acabam sufocando os filhos e tornando essa relação difícil. A consequência disso são traumas que podem ter reflexo na vida adulta.  Nesse sentido, quem tem ou teve uma mãe narcisista precisa de ajuda. Terapia e hipnose são formas de trabalhar as marcas deixadas por uma relação Continue lendo

4 minutos Vítimas de estupro carregam um trauma por toda a vida. Isso pode prejudicar a interação social de um indivíduo e até mesmo o desenvolvimento profissional. Sem contar que essas pessoas podem ser acometidas com quadro de depressão, pânico e fobias.  Nesse sentido, é importante que essas vítimas possam ter ajuda para superar o trauma. Uma das maneiras de fazer isso é por meio da hipnose no tratamento de vítimas de estupro. Com ela, é possível retornar ao momento em que a agressão Continue lendo

7 minutos O Brasil tem mais de 28 milhões de idosos, número que representa 13% da população. Essa população, com mais de 65 anos de idade, tende a crescer ainda mais segundo a Projeção da População, divulgada pelo IBGE. Ao mesmo tempo, é preciso oferecer tratamentos e cuidados específicos, que possibilitem um envelhecimento saudável para essa parte da população. Além de cuidados especializados de saúde, a mente precisa ser tratada por meio da terapia feita em idosos.  Nesse sentido, essa área de atuação é Continue lendo

6 minutos Um relacionamento tóxico, em muitos casos, é difícil de ser identificado por quem vive o problema. Bem como, para quem lida com pacientes dos mais diferentes perfis, muitas vezes é difícil identificar quando a situação retratada se trata de um relacionamento abusivo. Primeiramente, para ser considerado um relacionamento abusivo, a pessoa não precisa necessariamente vivenciar brigas constantes ou violência física. Muitas vezes, são situações aparentemente simples que mostram os primeiros sinais de que a relação não está bem.  Nesse sentido, muitas das Continue lendo