Claustrofobia: hipnose para trazer conforto em ambientes fechados

Tempo de leitura: 5 minutos

Rate this post

A claustrofobia é a sensação de desconforto causada pela permanência em ambientes muito fechados. Cerca de 3% a 4% da população mundial tem esse tipo de fobia, que pode atrapalhar muito o dia a dia. 

Muitas pessoas procuram o auxílio de um especialista para tratar essa patologia. Um tipo de tratamento que vem ganhando destaque é a hipnose, uma vez que ela possibilita chegar a nível do subconsciente e saber a origem do trauma. A partir disso, nas sessões o paciente passa a trabalhar maneiras de superar os motivos que levam a essa fobia.

Dessa forma, neste artigo vamos falar sobre as causas, sintomas e os principais tratamentos para a claustrofobia. Confira!

O que é a Claustrofobia?

Primeiramente, vamos diferenciar a claustrofobia da agorafobia, já que os conceitos são parecidos e podem se confundir. Ainda mais que, muitas pessoas que acreditam ter a claustrofobia, tem a agorafobia, que é o medo de situações específicas. Por exemplo, o medo de altura causado por uma escalada. Essa é uma situação atípica e que não ocorre todos os dias, e pode ser evitada com facilidade. 

Por outro lado, quem tem a claustrofobia não consegue lidar com situações simples do cotidiano, como um elevador. Isso influencia diretamente na sua vida, e até mesmo no bem estar, afinal, subir de escada um prédio de muitos andares não é fácil. 

Em síntese, a claustrofobia ocorre quando indivíduo não consegue ficar muito tempo em locais fechados e com pouca ventilação. Trens, ônibus lotados, avião, bares ou lojas, qualquer um desses locais pode desencadear a fobia.

Por ser considerada um transtorno psicológico, a claustrofobia pode ser tratada com terapia, ou mesmo com a hipnose

Possíveis desencadeadores do transtorno

Não existe uma causa específica para a claustrofobia, pois ela pode existir desde sempre, como pode surgir do nada. Porém, traumas, ansiedade e até mesmo a genética pode estar relacionadas com a patologia. 

Da mesma forma, não existem causas aparentes, já que algumas pessoas podem ter esse transtorno mas não sabem. E só se dão conta que estão com esse problema ao passar por uma situação que a desencadeia. 

Sintomas da Claustrofobia

Bem como é possível ter essa patologia e só desenvolver depois de anos, os sintomas são confundidos com ansiedade. Por isso, é comum que o primeiro diagnóstico seja de transtorno de ansiedade ou até mesmo de síndrome do pânico

Nesse sentido, alguns dos sintomas mais recorrentes são:

  • taquicardia;
  • hiperventilação;
  • dor de cabeça, tonteira e/ou zumbido nos ouvidos;
  • vontade de ir ao banheiro;
  • calafrios ou sensação de calor;
  • engasgos e náuseas;
  • confusão;
  • dor no peito;
  • boca seca;
  • pânico;
  • desmaios;
  • sensação de morte, entre outros.

Esses sintomas podem surgir juntos ou separados, e para ter um diagnóstico preciso é recomendado procurar um médico. Depois da consulta o profissional pode recomendar o melhor tratamento. 

Definitivamente, a claustrofobia pode se desenvolver de uma hora para outra, mesmo sem sintomas prévios. Assim, em um dia qualquer você pode simplesmente ficar apavorado só de pensar em subir de elevador. 

Quais são os tratamentos?

Ao ser diagnosticado com a claustrofobia, o indivíduo precisar procurar o melhor tratamento. Por ser um distúrbio psicológico pode ser tratado com terapia convencional, ou ainda com a hipnoterapia, que tem benefícios comprovados na medicina e saúde.  

Com a ajuda da hipnose, o paciente entende quais são as causas desse transtorno e passa a trabalhá-las. Se foi causada por traumas, com ajuda do especialista, entende como superar esses traumas e aprende a lidar com eles no dia a dia. 

Como usar a hipnose para tratar a claustrofobia

Ao optar pelo método da hipnose, o paciente consegue acessar o seu subconsciente. Desse modo, consegue trabalhar diretamente a origem dos traumas. 

Existem diversas maneiras de abordar a origem do problema, e cada paciente se adapta melhor a uma delas. As principais seguem abaixo.

Hipnose com sugestões

Durante as sessões, o paciente é sugerido a viver determinadas situações e sensações. Em estado de relaxamento profundo, o hipnoterapeuta faz sugestões de situações que possam desencadear a fobia. E nesse mesmo momento sugere formas de superá-lo. 

Hipnose em estado de relaxamento

Nesta técnica, o paciente é induzido ao transe no estado profundo de relaxamento. Desse modo, é capaz de aliviar os sentimentos de ansiedade e sintomas mais comuns do momento de claustrofobia. 

Assim, é possível utilizar essa técnica também durante a auto-hipnose, quando o paciente aprende a acessar o estado de relaxamento profundo. Logo, quando tiver uma crise, pode utilizar da auto hipnose para conseguir se controlar e evitar que ela surja de novo. 

Regressão

O estado de regressão pela hipnose é um nível superior às outras técnicas. Pois, nesse caso o paciente é levado a momentos onde a fobia pode ter sido originada. É possível entender qual a origem do problema e porque ele ainda persiste. Com esse entendimento, é possível trabalhar, no presente, as formas de superá-lo

Dessa forma, seja com a hipnose aplicado por um profissional, ou na auto hipnose, esse é um tratamento eficaz para o indivíduo claustrofóbico. Assim, ajuda a lidar com as situações do dia a dia e traz conforto para entrar ou permanecer em ambientes fechados. 

Se o seu caso for a aerofobia, veja como a hipnose para superar medo de avião pode ajudar!

Esse artigo foi útil?

Clique na estrela para pontuar!

Média de pontuação / 5. Vote count: