Deja vu: 4 teorias sobre ela e o que tem de científico nessa sensação

Há pessoas que já tiveram a sensação de que estavam vivendo a mesma coisa pela segunda vez e a isso dá-se o nome de deja vu. A expressão vem do francês e pode ser traduzida para o portugues como “já visto”. 

O nome foi dado pelo filósofo francês Emile Boirac (1851-1917), e se refere a quando a pessoa sente, vive ou vê algo pela primeira vez, mas tem a sensação de que já havia passado pela mesma coisa antes.

A resposta exata do motivo disso acontecer ainda não foi totalmente elucidada. Entretanto, há teorias e pesquisas sobre o tema. Conheça o que se sabe, até o momento, sobre deja vu e descubra os possíveis motivos disso acontecer. 

O que é um deja vu?

Esse é o termo usado para definir a sensação de estar revivendo um momento. O deja vu se refere a quando o indivíduo tem a impressão que já aconteceu, em sua vida, a mesma coisa que está acontecendo agora.

A expressão também é usada para definir quando a pessoa vai a um lugar novo, mas tem a sensação de que já o conhece. O deja vu pode acontecer com qualquer pessoa, mas nem todos já passaram por isso. 

4 teorias a respeito do deja vu

Embora a curiosidade para entender o motivo do deja vu acontecer seja grande, ainda não foi possível descobrir exatamente o que acontece com o cérebro. Entretanto, há algumas teorias. Conheça as principais. 

“Engano” do cérebro

Essa teoria se baseia na crença de que o cérebro sempre busca por memórias que contenham elementos semelhantes aos vividos no momento. Quando ele as encontra, avisa que aquilo não é tão novo, visto que a pessoa já esteve em um momento parecido. 

No entanto, por vezes, o cérebro pode se enganar e indicar que a pessoa já viveu a mesma coisa, sendo que ela nunca passou por isso.  

Problemas com a memória

Nessa teoria, acredita-se que o cérebro se engana. Ele mistura o que está sendo vivido agora com o que ele tem arquivado de antigamente. 

Isso acontece porque ao mesmo tempo que ele vive a experiência atual, ele acessa as memórias antigas. Nesse momento, acaba fazendo uma confusão, ou seja, entende que o que está acontecendo agora, na verdade, já foi arquivado anteriormente na memória. Com isso, ele cria a sensação de deja vu.  

Dificuldade no processamento de informações

Há também uma teoria sobre o deja vu que acredita que acontece um erro no processamento das informações no cérebro. É que no normal as novidades chegam ao lobo temporal do hemisfério esquerdo. Ele separa e analisa. 

Depois disso, encaminha esse conhecimento para o hemisfério direito que, na sequência, devolve a informação para o hemisfério esquerdo. Dessa forma, tudo o que acontece de novo acaba transitando duas vezes pelo hemisfério esquerdo. 

No entanto, por vezes, pode acontecer dessa passagem entre um hemisfério e outro demorar mais do que o esperado. Essa dificuldade em processar a informação pode levar ao entendimento, por parte do cérebro, de que se trata de uma memória do passado. Com isso, acontece a sensação de deja vu. 

Acesso a fontes erradas

Todas as informações são arquivadas na memória e elas podem vir tanto de uma situação vivida, quanto de um livro. Podem ter sido adquiridas até mesmo de uma série que a pessoa assistiu. 

De acordo com essa teoria, a sensação de deja vu é consequência de uma confusão do cérebro. Em suma, ele que usa a informações de algo que foi lido ou assistido, como se a pessoa já tivesse vivido o momento. Assim, o cérebro confunde a vida real com a ficção. 

Estudo de caso: ciência e hipnose recriando a sensação

A tentativa de explicar o deja vu faz com que os cientistas realizem diversos estudos. Um deles foi feito por pesquisadores do Leeds Memory Group, que revelaram terem recriado a sensação de já ter vivido um momento usando hipnose.

A equipe usou a hipnose para tentar criar uma sensação de familiaridade nas pessoas, de algo que elas nunca tinham vivido. Para isso, contaram com voluntários que foram expostos a 24 palavras comuns.

Na sequência, eles foram hipnotizados. A orientação foi de que quando vissem a mesma palavra em uma moldura vermelha, iriam sentir que ela era familiar. No entanto, não saberiam quando a tinham visto pela última vez. 

Contudo, se a palavra estivesse em uma moldura verde eles saberiam que ela fazia parte das 24 palavras mostradas no começo do teste. Feito isso, os voluntários foram retirados do estado de hipnose. Na sequência, foram apresentados a uma série de palavras em molduras de várias cores. Dentre elas, algumas que não estavam entre as 24 iniciais, mas que estavam em moldura verde ou vermelha.

Dos 18 participantes, 5 disseram que parecia deja vu. Já 10 contaram que sentiram uma sensação peculiar ao ver as novas palavras em molduras vermelhas. Dessa forma, entendeu-se que a sensação de deja vu foi recriada com a ajuda da hipnose

Em suma, até o momento acredita-se que um “erro de processamento” faça com que o cérebro misture as memórias e cause a sensação de deja vu.

Por falar em memória, você sabia que é possível desenvolvê-la e melhorá-la? Descubra como fazer isso e tenha uma supermemória

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp