Piaget e PNL: será que há alguma relação entre eles? Enquanto um é o responsável pela teoria da epistemologia genética, em sua constante busca pela compreensão do desenvolvimento humano, a outra é responsável por pressuposições. Dentre elas a conhecida como “o mapa não é um território”.

Descubra o que diz cada um deles para que possa compreender a ligação entre Piaget e PNL. 

Quem foi Piaget?

Antes de abordar a ligação entre Piaget e PNL, é preciso saber quem foi o biólogo influenciador, responsável por teorias famosas. Jean Piaget nasceu em 1896 e faleceu em 1980. Ele era focado em observação científica e interessado no processo de aquisição de conhecimento.

Embora nunca tenha atuado como pedagogo, foi considerado um grande influenciador nas metodologias educacionais. Boa parte dessa fama se deu por ele ter criado uma teoria sobre a aquisição de conhecimento relacionado ao desenvolvimento infantil chamado de epistemologia genética.

Em suma, Piaget concluiu que o aprendizado era influenciado não apenas pelas estruturas cognitivas, mas também pela interação com o meio. E nesse processo a criança passa por quatro etapas até que consiga chegar à capacidade plena de raciocínio. São elas:

  1. sensório-motor;
  2. pré-operatório;
  3. operatório concreto;
  4. operatório formal.

De acordo com a teoria, ele também concluiu que embora o raciocínio lógico deva ser ensinado, há limitações nessa aprendizagem no ambiente escolar, pois esse processo vai depender de uma estrutura de conhecimento da criança. Dessa forma, Jean Piaget mostrou que existe uma limitação na transmissão de conhecimento.

Ao mesmo tempo que ela não vai conseguir aprender o que ainda não tem condições, a criança também só vai se interessar por conteúdos que lhe façam falta em termos cognitivos. 

Isso é explicado porque, de acordo com Jean Piaget, a aquisição de conhecimento acontece por descobertas que a própria criança faz. E é com base nisso que até hoje entende-se que a construção do aprendizado é do aluno. Por isso, de acordo com as teorias de Jean Piaget, cabe ao professor estimular a busca de conhecimento, para que o aluno construa a sua aprendizagem. 

O que é PNL?

Ainda antes de abordar sobre Piaget e PNL é preciso compreender o que é a Programação Neurolinguística (PNL). Trata-se de uma técnica que busca compreender o processo da mente.

Uma vez que isso se torna real, ela visa a provocação de mudanças para que o indivíduo consiga conquistar bons resultados. Assim, a PNL procura compreender a organização da mente e os comportamentos individuais, para que possa ajudar a pessoa a conquistar as mudanças que deseja ou que são necessárias.

De acordo com a PNL, após a mente receber informações ela as filtra e organiza. Uma vez que essas informações são arquivadas, a pessoa reage ao estímulo externo com base nelas. Contudo, por vezes, esses conceitos acabam sendo prejudiciais e fazem com que as ações não sejam benéficas para o próprio indivíduo. Para mudar isso, é possível fazer a ressignificação do que não é positivo e destacar os conceitos gravados que são benéficos. Com isso, a PNL colabora para que a pessoa desenvolva o autoconhecimento

O mapa não é o território

A PNL entende que existem pressuposições que são capazes de nortear as ações humanas e seus comportamentos, para que possam atingir a excelência humana. É como se existisse um conjunto de ações e regras que, quando adotadas, levassem a pessoa a conquistar a alta performance nas mais diferentes áreas da vida. 

Dentre esses “manuais” de comportamento humano há um chamado de “O mapa não é o território”, que é uma das premissas mais famosas. Resumidamente, diz que o que é real não é exatamente a ideia que a pessoa tem sobre determinado fato.

Essa comparação de “O mapa não é o território” com a ideia que a pessoa tem sobre determinado fato pode ser explicada. Quando um indivíduo tem uma mapa na mão ele encontra um percurso e pode seguir. Embora esse mapa mostre o caminho, ele não é capaz de dizer se há buracos na estrada ou se falta a iluminação em uma rua. Assim, o mapa dá uma ideia do que pode ser feito, mas não do território

De acordo com essa premissa da PNL, algo assim acontece no dia a dita. Embora todos consigam ter uma ideia sobre algo, é apenas uma ideia e não a realidade. E isso vale sobre a imagem que cada pessoa forma sobre outras ou sobre um lugar, por exemplo.

Dessa forma, o que você acha sobre determinada pessoa hoje pode não ter relação nenhuma com a realidade. E se você tomar uma atitude qualquer baseada no “achismo” corre grande risco de ser injusto.

Por isso, a PNL entende que basear a vida em um “mapa” já traçado pode fazer com que o indivíduo perca oportunidades e deixe de crescer. Afinal, devido a projeções ruins, muitas vezes, o indivíduo deixa de agir e acaba perdendo grandes oportunidades.

Piaget e PNL: existe uma relação entre eles?

Piaget entende que o aprendizado é feito por meio de assimilação e acomodação. A assimilação é guardar a informação aprendida em caixas que a pessoa já tem. A acomodação é quando a informação não cabe em nenhuma das caixas e a pessoa precisa criar novas caixas mentais para que possa arquivar aquilo.

Um exemplo disso pode ser compreendido imaginando que você é um bebê. Então você vê uma borboleta e seu pai ou sua mãe dizem para você que aquilo é uma borboleta. E você assimila que aquilo é uma borboleta. Até que aparece um passarinho e a criança vê, aponta e fala que é uma borboleta. Isso acontece porque a criança não tem condições de assimilar as propriedades que fazem com que aquilo seja uma borboleta, assim ela gravou que é algo que voa. No momento que vê o passarinho logo o chama de borboleta, pois é o que ela tem “arquivado”.

Só que nesse momento o pai ou a mãe diz que aquilo é um passarinho e a criança aprende a diferenciar. Então quando ela aprendeu que era uma borboleta ela passou por uma assimilação. Na aprendizagem do passarinho acontece o processo de acomodação. 

Assimilação e acomodação precisam estar juntas 

Assim, assimilação e acomodação precisam estar agindo juntas para que o aprendizado possa ser adquirido. E como há essa ligação entre Piaget e PNL ou com a premissa de “o mapa não é o território”? 

Para Piaget, existe o esquema de ação. Aquilo que a criança nasce de instinto são os esquemas iniciais que ela tem para desbravar o mundo. E os sentidos associados aos instintos são esquemas de ação

Assim, a pessoa terá esquemas pelos quais ela interpreta. Quando a criança começa a se desenvolver ela passa a criar novos esquemas ao desbravar o mundo. E isso tem relação com “o mapa não é o território”. Afinal, esses esquemas que a criança tem não deixam de ser o mapa da realidade que ela formou. 

Assim, a relação entre Piaget e PNL é que a criança também não nasce sabendo o território. Esses esquemas e instintos ajudarão a criar uma noção melhor do mundo para que ela diminua a distância entre o mapa e o território

Além de o mapa não é o território, a PNL também trabalha o que é chamado de ancoragem. Veja como funciona

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *