Tratamentos para Impotência Sexual

Tempo de leitura: 7 minutos

Rate this post

Todos os dias, milhares de homens relatam algum problema em se relacionar sexualmente pela dificuldade de ter ou manter ereção, também conhecida como impotência sexual.

Dentre as pessoas das mais diferentes idades e origens, os adultos são os que mais sofrem com essa condição. A impotência sexual atinge 25 milhões de brasileiros acima de 18 anos. Quase sempre as causas desse problema são emocionais, ocasionadas muitas vezes por ansiedade, insegurança e demais problemas do dia-a-dia.

O tabu que ainda cerca a saúde sexual masculina em nossa sociedade faz com que a maioria dos pacientes não procure ajuda especializada e, pior, comece a se automedicar.

Nesse sentido, a hipnose tem sido muito utilizada para tratar a impotência sexual, por estar diretamente ligada a problemas emocionais. Através de técnicas, o profissional de hipnose consegue mapear possíveis causas do problema, e assim aplicar técnicas de relaxamento profundo para levá-lo ao transe. A partir daí, pode auxiliar numa reação frente ao problema.

O que é impotência sexual?

Para o indivíduo ser considerado impotente, ele precisa manifestar disfunção erétil permanente. Ou seja, uma falha ocasional de ereção ─ que pode acontecer com todos os homens ─ não enquadra ninguém nessa categoria.

Por outro lado, quando se fala em impotência sexual, muitas vezes estamos nos referindo a outras manifestações da sexualidade masculina que nada têm a ver com a ereção, como a falta de desejo ou de orgasmo e a ejaculação precoce ou retardada.

Causas emocionais

Hoje em dia a maioria dos casos de impotência sexual está relacionada a causas emocionais. O que não significa que será mais fácil solucionar o problema. É preciso, antes de tudo, encontrar a causa exata.

Uma pessoa insegura e desmotivada é incapaz de manter relacionamentos sexuais. Por isso é correto afirmar que as causas mais comuns da impotência sexual são de ordem emocional, como por exemplo:

  • Ansiedade excessiva;
  • Experiências no passado que levam a traumas;
  • Baixa autoestima, principalmente pelo medo de decepcionar o/a parceiro/a;
  • Problemas financeiros;
  • Altos níveis de estresse, entre outros.

Causas orgânicas

Existem ainda causas de ordem orgânica que podem estar diretamente ligadas à impotência sexual. Elas podem estar relacionadas a doenças (genéticas ou não) e alterações anatômicas penianas, por exemplo.

Dentre as causas orgânicas, estão:

  • Distúrbios hormonais ou endócrinos;
  • Problemas cardiovasculares;
  • Doenças crônicas como diabetes, insuficiência renal, hipertensão arterial e aterosclerose;
  • Doenças neurológicas como: alzheimer, esclerose múltipla, mal de parkinson, lesões na medula ou tumor cerebral;
  • Problemas físicos no órgão sexual como: fibrose, cistos, tumores ou deformidades.

Outras causas

Há ainda causas relacionadas aos hábitos de vida do indivíduo, como o uso constante de cigarro, bebida alcoólica e outras drogas. Diferente dos outros casos, aqui a impotência sexual pode acontecer de forma pontual e não necessariamente em todas as relações sexuais.

Dentre esses, o cigarro é o problema mais frequente. Isso porque suas substâncias tóxicas (como a nicotina) provocam danos à vascularização do pênis.

A obesidade e o excesso de peso também podem levar a casos de baixo desempenho sexual e até de disfunção erétil. Uma pesquisa mostrou que sedentários são mais propensos a sofrer de impotência sexual.

 

Medicamentos não resolvem a impotência sexual

Tratamentos para impotência sexual

Muitos dos tratamentos para impotência sexual consistem na administração contínua de remédios que, a longo prazo, podem gerar consequências aos pacientes.

Além disso, nenhum deles possui eficácia permanente. Eles atuam apenas de forma paliativa, ajudando o indivíduo por pouco tempo.

Diversos remédios podem causar efeitos colaterais que levam à impotência sexual. A lista de medicamentos que têm o poder de prejudicar seu desempenho na cama vai muito além dos antidepressivos. Até aquele remedinho para gripe pode causar efeitos no desempenho sexual.

Há três tipos de medicamentos em que há registros frequentes de casos relacionados à impotência.

Analgésicos

Analgésicos que contêm ibuprofeno na composição para tratamento da dor podem estar associados à disfunção erétil. Isso porque ele possui ação anti-inflamatória e analgésica, e seu uso por longos períodos interrompe a produção de testosterona, principal hormônio masculino.

Ansiolíticos

Conhecidos popularmente como tranquilizantes, eles são usados para diminuir a ansiedade e a tensão. Porém, como agem diretamente no sistema nervoso central, esses medicamentos têm o efeito de “desacelerar” os nervos, e, com isso, diminuem também a libido.

Antidepressivos

Ao alterar os neurotransmissores do corpo humano, os medicamentos antidepressivos acabam por afetar o desejo e a resposta sexual do indivíduo. Assim, a libido acaba tendo uma redução drástica no paciente.

Como funciona o tratamento de impotência sexual com hipnose

Em geral, a hipnose para impotência sexual atua diretamente sobre a raiz do problema. Em vários campos do conhecimento a hipnose vem sendo aplicada em razão da sua força de reconstrução a nível inconsciente. Assim, é possível reprogramar o cérebro, fazendo com que o paciente abandone os pensamentos limitantes, como o de incapacidade, insegurança e medo.

A partir da reprogramação gerada pelo método da hipnose, é possível desprogramar os gatilhos geradores da impotência, liberando o corpo para agir de forma natural.

A técnica, que é um estado de hiper atenção, como quando estamos presos a um bom livro ou bom filme, pode ser uma aliada de médicos e terapeutas no tratamento de problemas de sexualidade.

Com a hipnose, as pessoas aprendem a relaxar e, por meio da auto-hipnose, conseguem controlar a ansiedade e a insegurança. Sem o nervosismo habitual na hora do sexo, elas direcionam seu organismo para a atividade, potencializando o prazer.

Vantagens do tratamento com hipnose

De acordo com especialistas, a hipnose é bastante eficaz no tratamento de doenças em que não existe lesão ou comprometimento da estrutura de determinado órgão. Nesta categoria, podem ser incluídos, por exemplo, enxaquecas, vertigens e, também, a disfunção sexual.

Segundo urologistas, cerca de 70% das disfunções sexuais são causadas por fatores psicológicos – por isso a hipnose se mostra tão eficaz. Nesse estado de transe, um profissional treinado é capaz de ajudar a encontrar a causa emocional da disfunção erétil ou frigidez e tratá-la, encontrando soluções para esses problemas.

Os resultados costumam ser bastante animadores. Um homem com ejaculação precoce diagnosticada, por exemplo, aprende com a hipnose a controlar seu estresse e ansiedade, tendo uma relação com mais qualidade. E não somente os homens: uma mulher com a libido baixa ou que não alcança o orgasmo pode passar pela terapia com o uso da técnica, eliminando o medo e os registros negativos sobre o sexo após um tratamento hormonal.

Esse método terapêutico é muito eficaz para acessar conteúdos internos do paciente, ressignificando experiências traumáticas e, consequentemente, adquirindo os comportamentos operantes desejados.

Dessa maneira, a hipnose torna a psicoterapia mais direta e rápida, potencializando seus resultados.

Se seu problema está relacionado a algum trauma profundo, aproveite para conhecer uma técnica de PNL para tratar fobias!

Este artigo é baseado em uma aula ministrada ao vivo pelo terapeuta Guilherme Alves para os alunos dos cursos online do professor Alberto Dell’isola.

Esse artigo foi útil?

Clique na estrela para pontuar!

Média de pontuação / 5. Vote count:

Curso virtual de auto-hipnosePowered by Rock Convert