No ano de 2020, 7.612 pessoas morreram devido ao uso elevado de bebidas alcoólicas. Esses números são referentes apenas aos que bebem mais de cinco doses por dia. Se for considerar todas as mortes relacionadas ao alcoolismo, os dados são bem maiores. 

De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde, mais de 300 mil pessoas morrem em todo o mundo, devido ao consumo excessivo de álcool, todos os anos. Embora os números possam ser assustadores, o fato é que o consumo de álcool vem aumentando no Brasil.

Segundo o IBGE, houve um crescimento no volume de ingestão de bebidas alcoólicas, principalmente por mulheres. Em 2019, 17% das mulheres adultas disseram ter bebido pelo menos uma vez por semana. Esse número é bem maior do que o de 2013, quando eram apenas 12,9%. Já em relação aos homens, houve um crescimento de 36,3% em 2013 para  37,1% em 2019.

Esse hábito, além de ser nocivo para a saúde, pode ser o primeiro passo para o alcoolismo. Conheça a doença e veja como tratá-la!  

O que caracteriza o alcoolismo?

A vontade de beber várias vezes, sem conseguir evitar que isso ocorra, é chamada de alcoolismo. A doença ainda é caracterizada pela grande tolerância ao álcool, ou seja, para que a pessoa sinta os efeitos da bebida ela precisa, cada vez mais, ingerir uma quantidade maior. 

Além disso, quando não bebe apresenta sinais psíquicos e físicos. Assim, para identificar se um indivíduo é ou não alcoolista, não é avaliada a quantidade de bebida que ele ingeriu em uma noite ou o tipo de substâncias que tomou. O foco é tentar compreender qual a relação da pessoa com a bebida alcoólica. Ela consegue controlar a sua ingestão?

Quando desconfiar do problema

Antes de pensar em tratamento para o alcoolismo, a pessoa precisa perceber que tem esse problema. Afinal, muito do que será feito para a melhora vai depender de ela ter foco e acreditar que precisa melhorar. Assim, para que o próprio indivíduo tente descobrir se o caso dele é de alcoolismo ele pode se perguntar:

Se a pessoa responder sim a pelo menos uma das perguntas, pode ser a hora de reavaliar a sua relação com a bebida alcoólica. Além disso, há manifestações clínicas que podem ser percebidas quando quem sofre com o alcoolismo deixa de beber. Dentre elas:

Origem do alcoolismo

Embora a dependência do álcool possa ter origem genética, ou seja, pessoas com antepassados que sofreram com o alcoolismo têm mais chances de desenvolvê-lo, há também outros fatores que podem colaborar para que isso ocorra. Dentre eles: 

5 tratamentos possíveis para o alcoolismo

O alcoolismo tem tratamento, mas o primeiro passo precisa ser o doente entender que ele é dependente da bebida. Depois disso, há algumas alternativas de conduta. No entanto, o tempo mínimo é de seis meses, mas para que a pessoa seja considerada completamente bem, ela precisa estar há cinco anos sem o uso do álcool. Conheça algumas alternativas! 

Uso de medicamentos 

Uma vez que a pessoa tenha consciência, é importante procurar o atendimento médico. Um psiquiatra poderá, além de, evidentemente, orientar sobre a exclusão do álcool no dia a dia, prescrever medicamentos. Estes auxiliarão na desintoxicação e também a diminuir os sintomas da abstinência

Tratamento psicológico

O acompanhamento de um psicólogo também é parte importante do tratamento do alcoolismo. No SUS, por exemplo, é possível encontrar suporte gratuito nos seguintes locais:

Internação

O tratamento do alcoolismo não é fácil e, além do doente precisar do apoio de familiares e amigos, por vezes, a internação se faz necessária. Em uma clínica adequada, a pessoa tem acesso a diversos profissionais, além do médico e do psicólogo. Dentre eles, educadores físicos e terapeutas ocupacionais, que poderão auxiliar na recuperação. 

Alcoólicos Anônimos

Também conhecida como AA, é uma associação sem fins lucrativos, que colabora muito para o tratamento do alcoolismo. Os participantes podem compartilhar as experiências nas reuniões e receber o apoio de outros membros do grupo. Assim, funcionam como mais um suporte para quem está recebendo o tratamento médico e quer se livrar do vício. 

Hipnoterapia

Por meio da hipnoterapia, é possível ajudar a pessoa a encontrar os gatilhos que possam levá-la a procurar pela bebida. Dessa forma, ela poderá evitar esses momentos. Além disso, será possível fazer a ressignificação do que faz com que o indivíduo procure a bebida. 

Dessa forma, ao invés do doente se lembrar de algo que causa angústia e procurar o consolo no vício, a mesma lembrança poderá resultar em emoções diferentes. Assim, ela deixa de ser o gatilho para a ingestão de bebidas alcoólicas e conquistar mais qualidade de vida

Hipnose na luta contra a abstinência 

Um dos desafios do tratamento de alcoolismo é superar as crises de abstinência. A hipnose poderá ajudar a encontrar atitudes que levam o indivíduo a buscar pela bebida. Mas não é só isso. Por meio da hipnose é possível desenvolver:

Essas mudanças ajudarão o indivíduo a superar o vício e lidar melhor com os sintomas de abstinência. Veja como a hipnose clínica atua e pode ser útil nesse processo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *