A importância da hipnose no tratamento de obesidade

Tempo de leitura: 5 minutos

4
(1)

Um estudo feito pelo Ministério da Saúde concluiu que pelo menos 53% da população do Brasil está com o peso acima do ideal. Isso pode se transformar em um grande problema de saúde. Por isso, pessoas acima do peso, muitas vezes, precisam procurar tratamento de obesidade.

As maneiras de diminuir o peso são variadas e vão desde a prática de exercícios e reeducação alimentar, até hipnose e procedimento cirúrgico. Saiba mais sobre o problema e veja como descobrir se você tem sobrepeso ou obesidade. 

Como saber se você precisa de tratamento de obesidade?

Para começar, é preciso saber como descobrir se a pessoa está ou não obesa. Isso é determinado de acordo com o índice de massa corpórea (IMC).

Para calcular o seu, divida o seu peso pela altura ao quadrado por meio da seguinte fórmula: (IMC = Peso / altura²). Para ficar mais fácil compreender, imagine uma pessoa que pesa 80 quilos e mede 1,75m. 

  • Altura ao quadrado: 1,75 x 1,75 = 3,0625
  • IMC = 80 / 3,0625 = 26,1224

Nesse caso a pessoa está com o IMC 26,1224. Para saber o grau de obesidade ou se há obesidade, é preciso ver a seguinte classificação: 

  • IMC entre 25,0 e 29,9 Kg/m2: sobrepeso
  • IMC entre 30,0 e 34,9 Kg/m2: obesidade grau I
  • IMC entre 35,0 e 39,9 Kg/m2: obesidade grau II
  • IMC maior do que 40,0 Kg/m2: obesidade grau III

No exemplo citado, a pessoa ainda não está com obesidade, mas já encontra-se com sobrepeso. 

O que leva a pessoa a ficar obesa? 

Antes de pensar em tratamento de obesidade, é preciso entender o que está levando a pessoa a ficar obesa. Claro que a alimentação incorreta e ao sedentarismo são grandes vilões, mas há outros fatores que podem contribuir para o quadro. Dentre eles, podemos citar: 

Genética

A sua origem genética pode te favorecer a se tornar uma pessoa obesa. Ela afeta diretamente a forma como o seu organismo acumula energia em forma de gordura. Além disso, absorve os alimentos e queima as calorias através de exercícios.

Estilo de vida familiar

Quem mora com pessoas que ingerem mais calorias do que gastam podem ser influenciadas. A chance de seguir essa mesma linha aumenta.

Sedentarismo

Passar muitas horas sentado trabalhando e depois sentar na frente da TV também colabora para o acúmulo de gordura. Além disso, alguns problemas de saúde, como a artrite, também podem levar à inatividade e isso contribui para o ganho de peso.

Alimentação incorreta

Muitas calorias, pouca fibra, pouca verdura e poucas frutas também contribuem para o ganho de peso e acúmulo de gordura;

Medicamentos

Algumas medicações para tratar depressão, ansiedade e diabetes também podem colaborar para o ganho de peso;

Idade

Embora pessoas de qualquer idade possam ser obesas, quanto mais velho, maior o risco. As mudanças de estilo de vida e de hormônios, além da diminuição do metabolismo, fazem com que as chances de ficar obeso aumentem;

Ansiedade

Muitas pessoas, que são ansiosas, comem com mais frequência, mesmo se não estiverem com fome, e têm mais chance de ficarem obesas. 

Mesmo todos esses sendo considerados fatores de risco, há muitas pessoas que têm mais de um deles e não são obesas. O estilo de vida e os hábitos alimentares são trabalhados no combate ao sobrepeso. Eles fazem com que o indivíduo consiga manter o peso em dia, mesmo tendo alguns desses fatores citados.

Maneiras de tratar a obesidade

Há várias formas de perder de peso e diminuir os riscos de desenvolver doenças secundárias. Dentre elas, destacam-se:  

Mudança no estilo de vida

Visa a reeducação alimentar e prática de exercícios físicos para queimar as calorias e perder gordura corporal;

Tratamento medicamentoso

Indicado por endocrinologistas ou por outro médico especialista. Também ajudam a tratar a obesidade que está ligada a quadros de origem emocional, como a de ansiedade;

Tratamento cirúrgico

Cirurgias bariátricas podem ser indicadas para pacientes com IMC muito alto ou complicações de saúde consequentes da obesidade. 

Tratamento de obesidade com hipnose

O peso acima do considerado como saudável é fator de risco para uma série de problemas de saúde como:

  • Aumento dos triglicérides;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Hipertensão arterial
  • Diabetes Mellitus tipo 2, entre outros. 

Para evitar o aparecimento dessas doenças secundárias é preciso procurar um tratamento de obesidade. Dentre eles há a hipnose condicionativa

Nesse tipo de tratamento, a mente é trabalhada para se libertar de traumas e abalos emocionais. Esses, podem levar a quadro de ansiedade e consequente alimentação desregrada.

A hipnose também trabalha a mente para que a memória registre melhores hábitos de alimentação. Também foca em ensinar disciplinas nos horários e melhores escolhas de alimentos. 

Além disso, o tratamento de obesidade através da hipnose condicionativa também trabalha a motivação para atividades física. A ideia é fazer a mente compreender que o exercício é importante para a queima de caloria e perda de peso. Ela é usada junto a outros tipos de tratamento e ajuda a pessoa a realizar o recondicionamento mental.

Por fim, a hipnose também ajuda a manter o foco na dieta. Isso evita que a pessoa mesmo se sabote durante o longo caminho de emagrecimento. 

As alternativas de tratamento de obesidade são variadas e vão depender do grau de obesidade e da existência ou não doenças secundárias. 

O que acha de começar a cuidar da sua saúde com a hipnose? Descubra como perder peso com a ajuda da hipnose e técnicas que podem ser usadas. 

Esse artigo foi útil?

Clique na estrela para pontuar!

Média de pontuação 4 / 5. Vote count: 1