Acolhimento e cuidados paliativos: como a hipnose funciona nesse cenário?

Tempo de leitura: 4 minutos

0
(0)

A medicina avança a cada dia, mas ainda há doenças que não é possível curar. Quando um caso como esse é diagnosticado, o melhor a ser feito é se preocupar com a qualidade de vida do paciente. É nesse momento que os médicos prescrevem cuidados paliativos.

Diferentemente do tratamento convencional, que visa curar o doente, os cuidados paliativos querem que a pessoa viva bem, enquanto for possível. Para isso, podem ser prescritos medicamentos, alimentação alternativa, prática de ioga, meditação e também a realização da hipnoterapia.

Conheça a importância dos cuidados paliativos e veja como a hipnose pode ser usada nesses casos. 

O que são cuidados paliativos?

Todo profissional da saúde se preocupa com a qualidade de vida do paciente. É por isso que durante qualquer tratamento, há a preocupação com o tratamento medicamentoso, mas também em viabilizar uma estrutura que faça a pessoa se sentir melhor.

Porém, mesmo usando todos os recursos da medicina moderna, nem sempre a cura é viável. Assim, quando não há um medicamento conhecido que possa ajudar a pessoa a voltar a ter uma vida sadia, os cuidados paliativos são os indicados. 

Eles têm como objetivo dar qualidade de vida e não aumentar a duração dela. Os cuidados paliativos são voltados para o acolhimento e assistência humana, visando sempre deixar a pessoa o mais confortável possível. Assim, eles podem ser usados para: 

  • o controle dos sintomas;
  • o cuidado espiritual;
  • a orientação de familiares sobre o quadro e o que esperar da evolução da doença.

Como a hipnose pode ajudar? Veja 3 maneiras.

Os cuidados paliativos são variados e indicados de acordo com o quadro clínico do paciente. Ele pode envolver medicamentos para alívio da dor, até a terapia e prática da hipnose

Veja algumas formas de utilizar a hipnose nos casos em que a cura não é viável. 

No controle da dor

A hipnose pode ser usada juntos aos demais cuidados paliativos e medicamentos indicados para o tratamento da dor. Assim, podemos dizer que ela não substitui nenhum procedimento, mas atuará como auxiliar

Por isso, no geral, o seu uso para controlar a dor é indicado apenas quando a causa é conhecida pela medicina. Isso é recomendado pois, como se trata de cuidados paliativos, é preciso pensar em melhorar o momento, sem fazer com que a pessoa reviva problemas maiores ou emoções que possam prejudicar a sua situação atual. Para isso, o profissional poderá usar várias técnicas como, por exemplo:

  • usar sugestões diretas, para que a pessoa diminua a intensidade da dor sentida;
  • alterar o significado da dor por meio de sugestões.

Acredita-se que a explicação para a hipnose atuar no tratamento da dor seja porque ela estimula o organismo humano a produzir substâncias relacionadas ao bem-estar. Dentre elas, a serotonina e a beta-endorfina

Elas atuariam na neutralização do cortisol, hormônio ligado ao estresse e produzido quando a pessoa está com dor. Com a diminuição de sua disponibilidade no organismo, a pessoa sentiria menos dor.

Além disso, a pessoa fica tão focada em sua mente, com a prática da hipnose, que a sensação de bem-estar alcançada inibe a percepção da dor pelo cérebro. Dessa forma, a hipnose pode ser indicada dentre os cuidados paliativos para:

  • minimizar a ansiedade da dor;
  • ajudar a criar uma sensação agradável mentalmente;
  • aumentar a tolerância à dor. 

No controle de sintomas

O controle de dores de cabeça, enjoo e dores nas costas, por exemplo, pode ser feito com a ajuda da hipnose. Por meio dela, a pessoa consegue diminuir a ansiedade e controlar melhor o seu próprio corpo. Assim, é possível:

    • diminuir a dor;
    • reduzir a ansiedade;
    • tratar a depressão;
    • superar fobias;
    • melhorar a autoestima durante esse período delicado;
    • superar traumas ou sentimentos ruins para tornar o período mais ameno;
    • recuperar de memórias suprimidas.

Ao dar mais qualidade de vida 

Os cuidados paliativos visam melhorar a qualidade de vida do paciente e a hipnoterapia pode auxiliar nesse processo. Além de ajudar a diminuir a carga de estresse e traumas que a pessoa carrega, ela ajuda a:

  • obter o autoconhecimento;
  • desenvolver o autocontrole;
  • diminuir a ansiedade e o estresse;
  • melhorar a memória e a concentração;
  • controlar dores físicas e emocionais;
  • superar eventuais fobias;
  • melhorar o sono e aliviar a dor. 

Assim, a hipnose consegue tratar a pessoa como um todo, oferecendo mais qualidade de vida, fazendo com que ela se sinta mais amparada e, em alguns casos, possibilitando que a quantidade de medicamento seja reduzida, para que os pacientes tenham menos efeitos colaterais. 

Com todos esses benefícios, a hipnose vem, a cada dia mais, sendo usada não apenas durante o tratamento paliativo, mas também auxiliando a medicina convencional. Veja como isso é feito e as vantagens.

Esse artigo foi útil?

Clique na estrela para pontuar!

Média de pontuação 0 / 5. Vote count: 0

No votes so far! Be the first to rate this post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *