Hipnose em idosos: por que ela é tão importante?

Tempo de leitura: 6 minutos

Rate this post

A chegada da terceira idade vem acompanhada de diversos desafios, tanto na saúde física, quanto na emocional. Afinal, estresse, problemas familiares, traumas, abusos e tudo o que foi passado durante a vida se acumulam. Além disso, há a frustração de não conseguir desempenhar algumas atividades tão bem quanto antes. Tudo isso afeta a mente e, por isso, é necessário procurar soluções para alcançar o equilíbrio. Dentre elas, está a hipnose em idosos.

Seja depois do aparecimento de doenças psíquicas ou antes deles, como prevenção, a hipnose pode ajudar a melhorar a qualidade de vida. Por meio dela, é possível aprender a lidar melhor com as mudanças do organismo e com as experiências acumuladas ao longo da vida. 

Dessa forma, a hipnose em idosos pode ser aplicada como tratamento auxiliar em diversos casos. Dentre eles: 

  • depressão;
  • transtornos de ansiedade;
  • síndrome do pânico;
  • bipolaridade;
  • esquizofrenia e demência.

Conheça mais sobre as condições mentais que mais afetam os idosos e qual a abordagem ideal para lidar com esse tipo de tratamento. Siga em frente!

Alguns casos em que a hipnose em idosos pode ser usada

De forma geral, a hipnose ajuda a pessoa a identificar os traumas e aprender a lidar com eles. Por consequência, ela também auxilia o indivíduo na convivência diante das adversidades da vida de uma forma mais positiva.

Dessa forma, pode auxiliar nos tratamentos de diversas condições mentais comuns às pessoas na terceira idade. Conheça algumas das mais frequentes. 

Bipolaridade

O transtorno mental é tido como uma doença maníaco-depressiva. Em resumo, a pessoa acometida passa por fases de muita euforia e outras de depressão. Nesse contexto, há também espaços de tempo nas quais o indivíduo está normal.

A mudança de humor pode ser repentina e acaba dificultando a realização de atividades comuns no dia a dia. Embora essa característica acometa mais mulheres do que homens, ambos os sexos estão sujeitos à bipolaridade. No entanto, as causas para este dado são desconhecidas. 

Esquizofrenia

Outra doença mental que pode afetar pessoas da terceira idade é a esquizofrenia, que acomete 1% da população mundial. Primeiramente, a pessoa perde o contato com a realidade e pode ficar indiferente a tudo, com o olhar perdido. 

Além disso, há casos nos quais o idoso apresenta delírios e alucinações. Indivíduos com esquizofrenia, frequentemente, relatam que ouvem vozes que ninguém mais escuta. Às vezes, podem acreditar que são vítima de um “complô”. Não há cura.

Demência

A demência também ocorre com frequência na terceira idade. O uso da terapia e da hipnose em idosos pode ajudar a melhorar a qualidade de vida dos pacientes com perda das funções cerebrais. Dentre os sinais clínicos comuns é possível encontrar:  

  • perda de memória;
  • dificuldades de linguagem;
  • dores frequentes e/ou dores inexplicáveis;
  • irritação, preocupação ou com medo excessivo;
  • insônia;
  • dificuldade de raciocínio e de resolução de problemas;
  • desânimo;
  • alterações de humor;
  • pensamentos negativos e persistentes;
  • depressão;
  • ansiedade, entre outros.

Porém, quando há o diagnóstico de Alzheimer, é possível apenas controlar a doença. Afinal, não há cura.

Depressão

Pessoas que estão na terceira idade também podem sofrer com a depressão. Ela pode ser classificada em dois tipo:

  • depressão reativa: quando o tempo de duração é pequeno e ela tem fim se a resolução do problema motivador for encontrada;
  • depressão maior: sçao casos que duram mais de duas semanas e prejudicam atividades rotineiras.

Dentre os sinais clínicos mais comuns de uma pessoa com depressão, é possível citar:

  • tristeza, ansiedade ou a sensação de “vazio”;
  • irritabilidade;
  • cansaço, desânimo, pessimismo;
  • desinteresse por atividades rotineiras o que antes eram prazerosas;
  • insônia;
  • alterações de peso, para mais ou para menos, entre outros. 

Embora não exista uma causa definida para que a depressão se manifeste na terceira idade, há fatores que podem ser desencadeantes. Um deles é a mudança social, que é constante. A forma como as pessoas se relacionam, por exemplo, é outra. Às vezes, o idoso não está preparado para isso. 

Há também a violência, que pode causar medo e aumentar ainda mais a falta de autonomia. Afinal, o idoso se sente inseguro para ir às compras ou ao banco sozinho. 

Tratamentos alternativos para idosos

Quando uma doença é diagnosticada, ela pode aliar o tratamento medicamentoso aos alternativos. Contudo, a busca pelo envelhecimento saudável é a melhor opção sempre.

Por isso, uma boa alimentação, aliada ao exercício físico e controle da mente, ajudam a pessoa a entrar nessa fase da vida. 

Nesse sentido, é preciso investir na saúde emocional e mental antes mesmo de os primeiros sintomas aparecerem. Há diversos tratamentos que podem colaborar para o envelhecimento saudável. Dentre as alternativas estão: 

  • exercício aeróbico;
  • acupuntura;
  • terapia;
  • massagem terapêutica;
  • ioga ou tai chi chuan;
  • homeopatia;
  • envolvimento com arte e música;
  • orientação espiritual;
  • meditação.

Hipnose em idosos é uma ótima solução

Manter a mente positiva e saudável é muito importante para envelhecer bem. A hipnose em idosos pode contribuir para que isso ocorra. 

Além disso, é indicado trabalhar a hipnose para prepará-lo para as tensões do cotidiano. Antes de tudo, durante as sessões, é possível identificar o que está afetando o idoso emocionalmente. Dessa forma, é possível fazer com que ele ache uma maneira de suprir suas necessidades emocionais. 

Benefícios da hipnose em idosos

Pense, por exemplo, em um idoso que acaba de se aposentar. Ele era muito produtivo e, do nada, para de se sentir útil e começa a ficar desanimado. Ele até reconhece que não está bem, mas não consegue ligar a situação atual ao fato de ter se aposentado. Afinal, “todo mundo” quer conquistar a aposentadoria. Logo, o idoso passa a se cobrar por uma felicidade que não aparece.

Durante a hipnose em idosos, é possível identificar a causa e fazer com que o cliente perceba que a aposentadoria fez com ele ele sofresse emocionalmente. Após a pessoa ter identificado e aceitado isso, ela pode ser direcionada a encontrar novos caminhos. Um deles, por exemplo, é se dedicar ao trabalho voluntário ou a uma causa social

Dessa forma, a hipnose em idosos ajuda a descobrir o que incomoda. Depois, trabalha os sentimentos e, consequentemente, as ações. 

Assim, com a hipnose para idosos é possível: 

  • incentivar atitudes positivas;
  • estimular a mudança de postura;
  • promover a autoestima e autoconfiança;
  • trabalhar uma crise pessoal vivida;
  • encontrar novas metas e sonhos para a vida; 
  • melhorar a interação social;
  • ajudar na compreensão dos problemas; 
  • identificar traumas que possam causar a depressão;
  • recuperar o controle emocional;
  • evitar os comportamentos negativos e reclamações excessivas. 

A prática de hipnose em idosos, que é aceita inclusive pelo Conselho Federal de Medicina, é eficiente. Ela pode ajudar tanto o tratamento, quanto para evitar que alterações mentais ocorram. Dessa forma, é indicada para pessoas com diferentes quadros.

Aproveite para conhecer mais vantagens da hipnose em diversas necessidades médicas. Até o próximo artigo!

Esse artigo foi útil?

Clique na estrela para pontuar!

Média de pontuação / 5. Vote count: