Deficit de atenção: como tratar utilizando a hipnose

Tempo de leitura: 4 minutos

Rate this post

O Transtorno do Deficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) costuma a aparecer na infância. Muitas vezes, acompanha a pessoa acometida por toda a vida, causando inquietude, desatenção e impulsividade.

Também chamado de DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção), o transtorno neurobiológico pode atrapalhar o desenvolvimento escolar. Assim, a criança diagnosticada precisa de uma atenção especial. 

Conheça mais sobre TDAH e possíveis tratamentos. 

Entenda o deficit de atenção

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade acomete entre 3% e 5% das crianças em todo o mundo. Dessas, pelo menos metade vai levar as características da TDAH para a vida adulta. 

No geral, as crianças têm dificuldade em se relacionar com colegas de sala, professores e com os pais. Na escola, é difícil ter bom aproveitamento. Com frequência, crianças com deficit de atenção são vistas como desligadas e avoadas. Porém, ao mesmo tempo, são muito ativas. 

Segundo especialistas, a hiperatividade é mais frequente em meninos do que em meninas. O mesmo ocorre com sinais de impulsividade. 

Já na adolescência, pessoas com deficit de atenção costumam ter mais dificuldade em ter limites e aceitar regras. Enquanto em adultos, a falta de atenção no dia a dia e no trabalho são constantes. Além disso, os diagnosticados com deficit de atenção tendem a esquecer as coisas. 

Inquietas, essas pessoas podem ser vistas como egoístas. Além disso, frequentemente têm problemas ligados ao uso do álcool. Sem contar que estão mais suscetíveis a quadros de ansiedade e depressão

Sintomas de deficit de atenção

Hiperatividade, impulsividade e desatenção estão dentre os principais sinais de deficit de atenção. Pessoas acometidas pelo transtorno apresentam um padrão persistentes dessas características. 

Além disso, é possível observar sinais como:

  • Dificuldade em organizar tarefas;
  • Não gostar de nada que exija esforço mental, como a lição de casa;
  • Não mantém a atenção em atividades lúdicas;
  • Erros em trabalhos escolares por falta de atenção;
  • Esquecimento de coisas do dia a dia;
  • Distração.

Quanto à hiperatividade, são sinais comuns: 

  • Falar o tempo todo;
  • Correr sem parar;
  • Não conseguir brincar sentado;
  • Não ficar sentado na sala de aula;
  • Não consegue parar para ouvir o outro e interrompe conversa;
  • Não fique quieto na cadeira;
  • Batuca e se move o tempo todo, entre outros. 

Em crianças, é preciso que possuam pelo menos seis deles. Já em adultos, cinco são suficientes. 

Tipos de TDAH 

De acordo com a intensidade dos sintomas comuns, o deficit de atenção pode ser classificado de três formas: 

Apresentação combinada

Quando a pessoa apresenta sinais de impulsividade, desatenção e hiperatividade nos últimos 6 meses;

Predominantemente hiperativo/impulsivo 

Quando a hiperatividade está presente, mas a desatenção não;

Predominantemente desatento 

Quando são identificados os critérios de desatenção, mas não de hiperatividade.

O deficit de atenção também pode ser classificado em três níveis: leve, moderado e grave.

A variação vai depender da intensidade dos sinais diagnosticados pelo médico psiquiatra. 

Tratamento de TDAH

Quanto antes o deficit de atenção for tratado, melhor qualidade de vida a pessoa acometida por ele terá. O tratamento do TDAH é multidisciplinar e vai depender dos principais sinais encontrados.

No geral, profissionais como otorrinolaringologista, psicomotricista, psicólogo e fonoaudiólogo farão parte do processo de tratamento. Além disso, alguns medicamentos psicoestimulantes podem ajudar a aumentar a concentração. 

Nesse sentido, pais de crianças com deficit de atenção também precisam de acompanhamento. Eles devem ser instruídos para entender o transtorno e saber como lidar. 

Existem também algumas psicoterapias usadas para estimular o cérebro, sem a utilização de remédios. Uma delas é o método de Neurofeedback, no qual as ondas cerebrais são treinadas. 

Para isso, eletrodos são colocados na cabeça do paciente, que poderá monitorar as ondas cerebrais. Com esse conhecimento, a pessoa aprende a estimular as ondas positivas  acalmar as resultantes de baixo desempenho. Contudo, essa técnica ainda não é completamente aceita pela classe médica. 

A hipnose como apoio no tratamento

Como os sinais do transtorno prejudicam a interação da criança com o meio, é preciso trabalhar nela a autoconfiança. Nesse sentido, a hipnose pode ajudar. O mesmo vale para adultos, que muitas vezes não se destacam no trabalho pela dificuldade de concentração

A hipnose pode ajudar no controle das emoções e auxilia a pessoa a direcionar a mente. Assim, mesmo com o deficit de atenção, a pessoa terá mais condições de guiar os pensamentos e ações para o que é importante no momento.

Isso é de extrema importância para a criança, que está em fase de aprendizado, e para o indivíduo adulto, em sua vida profissional. Por isso, com os benefícios adquiridos, melhora a autoestima. Pode ser usada também para quadros de depressão ou ansiedade, ligados ao transtorno. 

Assim, com os bons resultados trazidos pela técnica, quanto mais os estudos avançam, mais a hipnose é ligada à medicina. Descubra as vantagens.

Esse artigo foi útil?

Clique na estrela para pontuar!

Média de pontuação / 5. Vote count: