Hipnose na fisioterapia: como ela atua no tratamento da dor

Tempo de leitura: 4 minutos

5
(1)

Aliviar dores e sofrimentos são práticas comuns para qualquer profissional da saúde. No universo dos fisioterapeutas, faz parte da rotina o tratamento de traumas, enfermidades ou até alterações genéticas que afetam o dia a dia do paciente. É nesse trabalho que a hipnose na fisioterapia pode ajudar.

É sabido que, muitas vezes, a pessoa que procura o tratamento de um fisioterapeuta sofre com dor. Por meio da hipnose, é possível minimizar esse sofrimento e tornar o procedimento mais leve.

Por isso, a hipnose na fisioterapia é regulamentada e o seu uso vem sendo adotado pelos mais diversos profissionais. Continue a leitura para saber mais!

Hipnose na fisioterapia: histórico e regulamentação

O uso da hipnose na fisioterapia é regulamentado pela Resolução Nº 380/2010 do COFITO. Com a união dessas duas técnicas, é possível trabalhar a dor do paciente não apenas com os instrumentos usados na profissão, mas também pela ressignificação

Por isso, a resolução define que a prática da hipnose na fisioterapia é tida “como valioso elemento auxiliar em diversos tratamentos”. Para chegar a essa conclusão, além de ser levado em conta que a hipnoterapia é aceita pela medicina como alternativa de tratamento, foi feito um estudo do histórico. 

Afinal, a hipnose é utilizada por milênios e, empiricamente, já fazia parte da rotina dos antigos egípcios (2.000 ac), com seus amuletos e encantamentos. Depois disso, Anton Mesmer (1734-1815) passou a trabalhar com o que é chamado de “magnetismo animal” e o termo “hipnose” foi usado por James Braid (1784-1860). Ele, por sua vez, fez procedimentos cirúrgicos usando apenas a hipnoterapia como prática anestésica. 

Na sequência, as curas hipnóticas da histeria foram relatadas por Jean Martin Charcot (1825-1893), algo que também foi relatado, em 1885, por Josef Breuer e Freud. Os dois publicaram o caso Anna O. no “Estudo sobre a histeria”. 

Foi então que Freud adotou a prática da hipnose e a hipnoterapia se popularizou pela Europa. Além disso, o uso da hipnose também fez parte do tratamento de pessoas traumatizadas nas Primeira e Segunda Guerras Mundiais.

Com o uso constante e com base nos resultados obtidos ao longo da história, o Conselho Federal de Medicina aceitou a prática como regulamentada entre os médicos. Tudo isso foi levado em conta na hora de avaliar o uso da hipnose na fisioterapia. 

Por fim, a hipnose médica passou a ser aceita como prática auxiliar ao diagnóstico e à terapêutica, desde que feita por profissional capacitado.

Benefícios do uso da hipnose por fisioterapeutas

As experiências vividas pelo paciente podem interferir diretamente na forma como ele sente e reage à dor. Dessa forma, com o uso da hipnose na fisioterapia é possível realizar uma dessensibilização por meio do transe hipnótico. Isso ajudaria inclusive no início do tratamento físico, já que por meio do controle da mente, a pessoa sentiria menos desconforto ao realizar os exercícios propostos. 

Assim, é possível minimizar o sofrimento e gerar melhores resultados. Com isso, conseguir:  

  • otimizar os resultados no trabalho de reabilitação;
  • aumentar a concentração do paciente no movimento a ser realizado;
  • colaborar para que o controle da dor, durante os exercícios, seja alcançado;
  • facilitar a comunicação entre o fisioterapeuta e o paciente;
  • diminuir a ansiedade e alcançar melhor controle emocional, o que resulta em relaxamento muscular.

Indicações do uso da hipnose na fisioterapia

Sempre que houver um procedimento que cause dor, a hipnose na fisioterapia pode ser usada. Além disso, pode ser útil também para casos nos quais o paciente está muito ansioso ou com medo do procedimento a ser feito. Dessa forma, a hipnoterapia ajudará no controle do estresse. 

Por fim, a hipnose na fisioterapia também pode ser usadas em casos que precisam superar sintomas desagradáveis da doença, para que a sua recuperação seja mais rápida e o tratamento mais eficaz. Dessa forma, o profissional poderá fazer uso da hipnose para tratar traumas, lesões, entorses, entre outros. 

Contudo, para tal prática, é obrigatório comprovar que está apto. O Fisioterapeuta deverá comprovar perante o COFFITO (Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional) a certificação de conhecimento das práticas integrativas e complementares. Será habilitado nos termos desta resolução o Fisioterapeuta que apresentar títulos que comprovem o domínio das Práticas Integrativas de Saúde objeto desta resolução, segundo a resolução do COFFITO

Pretende fazer uso da hipnose na fisioterapia? Então conheça sobre ética na hipnoterapia e quais as principais questões na prática clínica. Até o próximo artigo!

Esse artigo foi útil?

Clique na estrela para pontuar!

Média de pontuação 5 / 5. Vote count: 1

No votes so far! Be the first to rate this post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *